Publicidade

Estado de Minas

Submarino canadense navega no oeste do Pacífico pela primeira vez em 50 anos


postado em 08/02/2018 19:42

Um submarino canadense realizou uma patrulha no oeste do Pacífico pela primeira vez depois de 50 anos, em um contexto de tensões crescentes com a Coreia do Norte, informou o governo de Ottawa nesta quinta-feira (8).

Os Estados Unidos e seus aliados fizeram um chamado em janeiro, durante uma reunião em Vancouver, sobre a ameaça nuclear norte-coreana, para reforçar os controles marítimos e evitar que Pyongyang se esquive das sanções impostas internacionalmente.

O deslocamento do submarino NCSM Chicoutimi "reforça o compromisso do Canadá de manter a paz e a segurança e a segurança na região", disse à AFP o porta-voz da Força Armada canadense, Rick Donnelly.

O Chicoutimi está "em missão para reforçar a vigilância da Coreia do Norte", "rastrear os barcos suspeitos" e fez escalas em Guam e no Japão, segundo um informe a bordo do submarino da televisão pública canadense CBC.

"A equipe fez patrulhas sem um objetivo preciso, assim como exercícios com navios estrangeiros, mas não participa de (a aplicação de) sanções contra a Coreia do Norte", afirmou Donnelly.

O submarino tampouco "participa da segurança dos Jogos Olímpicos" de inverno, disputados em Pyeongchang, na Coreia do Sul, acrescentou.

O deslocamento atual foi planejado "há mais de um ano" e "não está ligado a um assunto geopolítico atual na Ásia-Pacífico", acrescentou a Defesa canadense, destacando que é a "primeira vez em 50 anos que um submarino da Marinha real canadense navega na Ásia-Pacífico".

Washington e seus aliados, incluindo o Canadá, exortou em janeiro "um reforço da interdição marítima com a finalidade de frustrar as transferências de barco a barco" para escapar dos controles.

"Deve haver novas consequências para o regime" da Coreia do Norte "a cada nova geração", disse o secretário de Estado americano, Rex Tillerson.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade