Publicidade

Estado de Minas

Twitter anunciou seus primeiros lucros e sua ação dispara


postado em 08/02/2018 15:24

O Twitter anunciou nesta quinta-feira seus primeiros lucros, um marco importante que pode dar fim às especulações sobre o modelo comercial da rede social, o que fez disparar as suas ações em Wall Street.

A companhia com sede em San Francisco indicou que obteve um lucro de 91 milhões de dólares no quarto trimestre, seu primeiro balanço positivo desde que se lançou na bolsa em 2013.

Os rendimentos aumentaram 2% em relação ao mesmo período do ano anterior até 732 milhões de dólares, melhor que o esperado.

"Isso mostra que o Twitter tem poder para ficar", algo que "muita gente duvidou durante muitos anos", disse Jennifer Grygiel, professora de Comunicação da Universidade de Syracuse que estuda redes sociais.

As ações do Twitter subiram 26,6%, a 34,08 dólares, na abertura de Wall Street depois da notícia.

Desde que foi lançado na bolsa, o Twitter atraiu celebridades, políticos e jornalistas, mas não conseguiu receber a atenção maciça do Facebook e de outras redes sociais, o que reduziu sua atração de receitas publicitárias.

Esse lucro é importante para a rede social preferida de Donald Trump, que consistentemente perdeu dinheiro desde seu início. Esse desempenho provocou especulações sobre a necessidade de vender a companhia para que sobrevivesse.

"Estou orgulhoso do progresso firma alcançado em 2017 e confiante de nosso caminho adiante", afirmou Dorsey.

A rede tinha intensificado os esforços para ampliar sua base de usuários e o nível de interação, se associando com veículos de imprensa e organizadores de eventos sócio-culturais para transmiti-los ao vivo via streaming, duplicando o limite de caracteres nos tuítes a 280 e criando a possibilidade de mensagens encadeadas.

- Número de usuários estagnado -

Com limites menos rigorosos, a complexidade do uso da plataforma é minimizada e "de forma mais importante, permite às pessoas serem mais expressivas sobre o que pensam", disse Dorsey em teleconferência.

Mas o Twitter ainda tem desafios. O número de usuários ativos mensais cresceu 4% em um ano, a 330 milhões, mas se estagnou em relação ao terceiro trimestre de 2017 e foi menor que o esperado por analistas.

Para Grygiel, apesar dos problemas nos últimos anos, o Twitter é único no universo de redes sociais. "É realmente o serviço de notícias mais rápido que já vimos", indicou. "Os formadores de opinião e os viciados em notícias vão ao Twitter por essa função de microblogging que não vemos em outros lugares".

No começo deste mês, o analista de pesquisa da BTIG, Richard Greenfield, melhorou a perspectiva para o Twitter, observando que a administração "reorientou a empresa para seu produto principal".

A inteligência artificial "tornou a experiência do Twitter mais atraente para o usuário ao exibir os tuítes que importam mais para ele", disse.

Os 330 milhões de usuários do Twitter estão longe dos 2 bilhões do Facebook, mas o microblogue disse que sua base diária de usuários ativos, sobre a qual não oferecem dados específicos, teve um crescimento de dois dígitos.

O Twitter também disse que tomou medidas para eliminar os "bots" (contas falsas automatizadas) e outras tentativas de manipulação de sua plataforma.

Como outras redes sociais, ele está sob a pressão de congressistas e pela divulgação de informações falsas, as "fake news".

"Estamos empenhados em tornar o Twitter mais seguro e estamos esclarecendo nossas políticas, melhorando nossa capacidade de cumprir e comunicando com mais clareza", afirmou a empresa em um tuíte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade