Publicidade

Estado de Minas

Suspeito de atentados de Paris não quer mais comparecer ao tribunal belga


postado em 06/02/2018 10:48

Salah Abdeslam, suspeito-chave dos atentados de Paris em novembro de 2015, julgado desde segunda-feira em Bruxelas por um outro caso, indicou nesta terça que não deseja comparecer ao processo.

"Parece-me importante informar que o senhor Salah Abdeslam informou o tribunal que não deseja comparecer à audiência de quinta-feira, 8 de fevereiro", indicou em um comunicado Luc Hennart, presidente do tribunal de primeira instância de Bruxelas.

O magistrado é encarregado de organizar a audiência que o julga por um tiroteio na Bélgica em 15 de março de 2016.

Na abertura do processo, Salah Abdeslam se negou a responder às perguntas e desafio a Justiça em nome de Alá.

"Meu silêncio não me transforma nem em culpado, nem em criminoso. É a minha defesa", assegurou ante o tribunal antes de mencionar sua religião, o Islã. "Agora me julguem. Façam o que quiserem de mim". "Não tenho medo de vocês (...), ponho minha confiança em Alá e isso é tudo. Não tenho nada a acrescentar", continuou.

Suspenso na tarde de segunda-feira, o julgamento deve ser retomado na quinta-feira com a apresentação da defesa, principalmente de Sven Mary, advogado que acaba de assumir o caso de Abdeslam.

Embora este processo julgue o tiroteio ocorrido na localidade de Forest em março de 2016, é visto como um preâmbulo do que acontecerá na França pelos atentados de Paris que deixaram 130 mortos.

Abdeslam, um francês de origem marroquina que cresceu e se radicalizou na popular localidade de Molenbeek, em Bruxelas, acabou fazendo parte de uma célula extremista envolvida em ao menos três grandes operações nos últimos anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade