Publicidade

Estado de Minas

Tribunal de apelação determina liberdade do herdeiro da Samsung


postado em 05/02/2018 06:00

Um tribunal de apelação da Coreia do Sul confirmou a condenação por suborno do herdeiro do grupo Samsung, Lee Jae-Yong, mas reduziu a sentença de prisão a uma pena com suspensão condicional e ordenou sua liberdade imediata.

Lee, vice-presidente da Samsung Electronics, maior fabricante mundial de smartphones e chips de memória, foi condenado em agosto a cinco anos de prisão por suborno relacionado com o escândalo de corrupção que provocou a destituição e detenção da presidente Park Geun-Hye.

A Samsung é o maior conglomerado industrial do país, a 11ª maior economia do mundo. O volume de negócios da empresa equivale a 20% do Produto Interno Bruto (PIB) da Coreia do Sul.

O herdeiro do grupo, de 49 anos, primeiro executivo da Samsung que foi detido, foi considerado culpado de vários crimes, incluindo corrupção, abuso de bens sociais, lavagem de dinheiro e perjúrio.

O caso envolve os pagamentos feitos pela Samsung à melhor amiga da ex-presidente Park, Choi Soon-Sil, que segundo o Ministério Público tinham como objetivo comprar favores políticos do governo.

Mas o tribunal de apelação anulou alguns delitos que haviam sido atribuídos ao executivo e alterou a pena de prisão que restava por cumprir por uma condenação de dois anos e meio de prisão com suspensão condicional.

"Park Geun-Hye e Choi Soon-Sil devem ser consideradas as principais personagens deste escândalo", afirmou a decisão.

Também foram reduzidas as penas de outros quatro diretores da Samsung Electronics que haviam sido condenados no mesmo processo de Lee.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade