Publicidade

Estado de Minas

Inferno de Irma cai sobre Key West


postado em 10/09/2017 15:52

O inferno de Irma atingiu na manhã deste domingo o arquipélago das Keys, no extremo sul da Flórida, golpeando casas e barcos abandonados por seus habitantes antes da chegada do furacão.

"Não vou mentir, é verdadeiramente aterrorizante", descreveu um morador, citado pelo canal de TV ABC.

As rajadas de vento foram calculadas em 215 km/h. Árvores arrancadas ficaram caídas em estradas, enquanto barcos se soltaram e encalharam em praias ou mangues.

Ondas provocadas pelo furacão, de categoria 4, tocaram aos poucos a terra e atingiram casas, protegidas com placas de madeira.

Em imagens divulgadas no Twitter, um homem enfrentava o furacão e tentava resistir ao vento de pé, com o corpo inclinado em um ângulo de 45 graus, ao lado de seu carro.

"Condições difíceis na costa norte de Key West por causa do Irma. Nosso prédio é sólido. Mais moderno", publicou no Twitter a base aeronaval da Armada americana, exibindo imagens do cais invadido pelo mar e atingido pelos ventos.

Outras imagens, divulgadas nas redes sociais, mostravam ruas inundadas pela chuva, além de painéis e postes derrubados pelo vento no famoso balneário, que foi lar do escritor Ernest Hemingway.

Moradores de Key West usam as redes sociais para se ajudar mutuamente. Pouco depois da publicação da mensagem de um surfista que mostrava um homem caído na rua Duval", um outro enviou fotos de pedestres que o levavam para um local seguro.

"A situação é extremamente perigosa e fatal", reiterou na manhã deste domingo o centro meteorológico de Key West, que pediu aos que decidiram não deixar o arquipélago que procurassem um abrigo "para salvar sua vida".

O Irma é o furacão mais recente a atingir esta localidade turística. Há 57 anos, em 10 de setembro de 1960, o furacão Donna alcançou o arquipélago do sul da Flórida e destruiu quase três quartos de seus prédios, deixando 12 mortos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade