Publicidade

Estado de Minas

Incidente na London Bridge deixa várias vítimas; polícia apura mais dois ataques

Van estava a cerca de 80 quilômetros por hora e atropelou pedestres. Ocorrido também envolveria uma faca


postado em 03/06/2017 20:16 / atualizado em 03/06/2017 23:34

(foto: Twitter/@willheaven)
(foto: Twitter/@willheaven)

A Polícia britânica investiga um "incidente importante" registrado neste sábado (3) na London Bridge, no centro da capital, que deixou várias vítimas, pouco depois das dez da noite, no horário local. Em um comunicado, a Polícia de Transportes declarou que esse incidente na ponte envolveria "um veículo e uma faca". Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas e foram levadas a hospitais da cidade, e haveria mais de um morto.

Os agentes também atendiam a uma segunda emergência no Borough Market, um conhecido centro perto da London Bridge, na margem sul de Londres, informou a polícia no Twitter. "Além da #LondonBridge os agentes estão respondendo a um incidente no #BoroughMarket. Temos policiais armados no local", publicou no Twitter por volta das 22h20, no horário local, 19h20 em Brasília.

No caso do Borough Market, local que reúne pubs e restaurantes, o ataque envolveu esfaqueamentos em um bar. A polícia disse ter efetuado disparos e comunicou a quem quer que estivesse nas zonas afetadas que "corram, se escondam, e avisem". As autoridades orientam que moradores e turistas evitem a região, e as ruas foram esvaziadas.

Ainda segundo os policiais, um terceiro incidente teria sido registrado em Vauxhall, também na capital, mas não se sabe se há relação com os outros dois ataques. O local fica a quatro quilômetros da Ponte de Londres.

(foto: Dominic Lipinski/PA via AP)
(foto: Dominic Lipinski/PA via AP)

A premiê britânica Theresa May anunciou que os ocorridos são tratados como "um potencial ato terrorista", o que a polícia confirma, e que há uma "rápida investigação" em andamento. Ela fará neste domingo de manhã uma reunião de emergência para tratar o assunto.

Mais cedo, em sua conta no Twitter, a agência de Transportes relatou que todas as rotas estavam sendo desviadas, enquanto o Serviço de Ambulâncias de Londres divulgou que "múltiplos recursos" estavam sendo enviados para o local. Testemunhas disseram ter visto uma van subir na calçada e atropelar pelo menos 20 pedestres. A London Bridge foi fechada nos dois sentidos. Imagens das emissoras locais mostram várias viaturas bloqueando qualquer acesso à área.

Assista ao vídeo postado pelo jornalista Kaine Pieri:

A jornalista da BBC Holly Jones, que estava na ponte no momento do incidente, contou que viu uma van dirigida por um homem a "cerca de 80 quilômetros por hora". Segundo ela, pelo menos cinco pessoas foram atendidas por lesões, depois de terem sido atropeladas. Jones disse ainda que viu um homem, sem camisa, ser algemado e detido pela Polícia. "Há vários botes da polícia com lanternas, sondando as águas do Tâmisa agora", declarou a repórter à rádio da BBC. No Twitter, o editor-chefe da revista The Spectator, Will Heaven, relatou ter visto "duas vítimas, uma na calçada e outra no meio-fio". Uma testemunha revelou à agência Reuters que viu três pessoas com o que pareciam ser cortes no pescoço. Segundo a agência, a polícia britânica está em busca de três suspeitos que estariam armados.

Veja um vídeo com a tensão em um restaurante na região da London Bridge:

Em 22 de março passado, um homem lançou seu carro contra dezenas de pessoas na ponte de Westminster. Na sequência, ele matou a facadas um policial que estava em serviço na frente do Parlamento. Cinco pessoas morreram. Mais recentemente, em 22 de maio, a Grã-Bretanha foi alvo de um ataque que deixou 22 mortos em Manchester, no final do show da cantora americana Ariana Grande. Nele, um jovem britânico de origem líbia se detonou, em um episódio reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

O presidente americano, Donald Trump, reagiu pelo Twitter, dizendo que os EUA farão o que for possível para ajudar o Reino Unido. Também defendeu seu decreto que veta a entrada de viajantes para aumentar o nível de segurança no país. "Precisamos ser espertos, vigilantes e duros. Precisamos que as cortes nos deem nossos direitos de volta. Precisamos do banimento de viagem como um nível extra de segurança!", disse.


Publicidade