Publicidade

Estado de Minas

França tem protestos e greve contra mudanças em leis trabalhistas

Estudantes e trabalhadores ganharam as ruas contra o relaxamento da jornada de trabalho de 35 horas semanais


postado em 31/03/2016 12:07 / atualizado em 31/03/2016 13:56

Polícia informou relatos de vandalismo e violência durante protestos de estudantes em Paris (foto: Force Ouvrière / Reprodução)
Polícia informou relatos de vandalismo e violência durante protestos de estudantes em Paris (foto: Force Ouvrière / Reprodução)
Paris, 31 - Estudantes e trabalhadores protestam na França, alguns deles de forma violenta, contra o relaxamento da jornada de trabalho de 35 horas semanais e mudanças em outras regras trabalhistas.

Condutores de trens, professores, funcionários de hospitais públicos e outros profissionais estão em greve. A Torre Eiffel ficará fechada durante todo o dia. O aeroporto Charles de Gaulle não está sendo afetado, apesar de 20% dos voos terem sido cancelados.

Algumas dezenas de manifestantes em sua maioria encapuzados ou usando máscaras interrompeu a manifestação estudantil pacífica em Paris ao lançar bombas de tinta em bancos e lojas. Alguns quebraram caixas eletrônicos e entraram em confronto com a polícia.

Organizações estudantis e sete sindicatos se uniram para incentivar protestos em toda a França contra o projeto de lei do governo, que eles argumentam que irá prejudicar os direitos dos trabalhadores.

A proposta tecnicamente mantém as 35 horas semanais de trabalho, mas permite às companhias organizar horários alternativos. Isso inclui jornadas semanais de até 48 horas e diárias de até 12 horas. Em "circunstâncias excepcionais", os trabalhadores poderiam executar até 60 horas por semana. A proposta deve ser debatida no parlamento em abril.


Publicidade