Publicidade

Estado de Minas

Morre o ex-presidente alemão Richard von Weizsäcker aos 94 anos


postado em 31/01/2015 10:01 / atualizado em 31/01/2015 15:45

Para Weizsäcker, 8 de maio de 1945 marcou 'a libertação do sistema que menospreza a dignidade humana'(foto: REUTERS/Tobias Schwarz )
Para Weizsäcker, 8 de maio de 1945 marcou 'a libertação do sistema que menospreza a dignidade humana' (foto: REUTERS/Tobias Schwarz )
O ex-presidente da República Federal da Alemanha Richard von Weizsäcker, considerado uma das principais autoridades morais da Alemanha do pós-guerra, faleceu aos 94 anos, informou a presidência alemã neste sábado.

Weizsäcker, membro da União Democrática Cristã (CDU), partido da chanceler Angela Merkel, teve um papel importante na maneira como a Alemanha administrou seu passado nazista, ao afirmar pela primeira vez que o 8 de maio de 1945 foi um dia de "libertação" e não de rendição do país.

Presidente entre 1984 e 1994, no período de governo do chanceler Helmut Kohl, Weizsäcker foi "uma testemunha do século", afirmou o atual presidente da Alemanha, Joachim Gauck, em um comunicado.

"Perdemos um grande homem e um chefe de Estado excepcional", completou.

Além disso, o presidente alemão disse que Weizsäcker conseguiu aprender com a experiência da guerra e da tirania sofrida pelo país para trabalhar por uma "Europa pacífica e unida".

Merkel se disse "muito triste" ao receber a notícia. Por meio de um comunicado, a chanceler afirmou que a morte de Weizsäcker representa "uma grande perda para a Alemanha".

Para o presidente francês, François Hollande, "sua perda é a de uma referência moral e política que guardaremos na memória".

Após iniciar o serviço militar em 1938, Weizsäcker foi ferido em várias ocasiões e presenciou de perto a morte de um de seus irmãos no começo da guerra.

"Eu mesmo o enterrei. Não preciso contar o que se sente", declarou, em 2009, em entrevista à revista Der Spiegel.

Weizsäcker - cujo pai, um diplomata, foi condenado no julgamento dos dirigentes nazistas em Nuremberg por suas atividades durante o III Reich - trabalhou para que os alemães assumissem o passado e deu ao cargo de presidente, principalmente honorário, uma dimensão moral.

Em 1985, no 40º aniversário da derrota do III Reich, afirmou aos deputados do Bundestag que o 8 de maio de 1945 marcou "a libertação do sistema que menospreza a dignidade humana". Na época, parte da direita alemã ainda lamentava a derrota do país na Segunda Guerra Mundial.

Richard von Weizsäcker, advogado de formação, foi prefeito de Berlim Ocidental entre 1981 e 1984. Durante sua presidência aconteceram a queda do Muro de Berlim, em 9 de novembro de 1989, e a posterior reunificação das duas Alemanhas, em 3 de outubro de 1990.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade