Publicidade

Estado de Minas

Acaba rebelião em presídio de Aracaju


postado em 18/05/2014 16:07

Detentos de um presídio de segurança máxima de Sergipe libertaram neste domingo os 131 reféns, quase todos familiares de prisioneiros, e encerraram a rebelião iniciada na véspera, informaram as autoridades estaduais.

"A rebelião acabou. Libertaram os agentes e todos os familiares que estavam dentro", disse à AFP um porta-voz da secretaria de Justiça de Sergipe. "Eram 127 familiares - 15 crianças - e quatro agentes penitenciários. Tudo voltou ao normal".

A rebelião na penitenciária Advogado Jacinto Filho terminou após um dia de intensas negociações, "em um clima de tranquilidade", e os reféns já foram submetidos a exames médicos, destacou o porta-voz.

Como parte das negociações, 16 presos sentenciados conseguiram ser transferidos para outro estabelecimento penitenciário.

Por se tratar de um presídio de segurança máxima, no Advogado Jacinto Filho não entra comida de fora, o banho de sol é muito limitado e não há acesso a telefone celular.

As negociações foram lideradas por um capitão da Polícia Militar com o auxílio de um juiz e representantes da Comissão Estadual dos Direitos Humanos, informou Sandra Melo, representante da Reviver, a empresa privada que coadministra o presídio com governo do estado de Sergipe

A rebelião aconteceu no sábado em um dos quatro pavilhões do presídio, com 123 detentos. As negociações foram interrompidas na noite de sábado e retomadas na manhã de domingo.

A crise acontece a 26 dias do início da Copa do Mundo e em meio a vários protestos por reivindicações salariais e contra os altos custos do Mundial. Sergipe não está entre as sedes do torneio.


Publicidade