Publicidade

Estado de Minas DICA DE LEITURA

Poesia no resgate da inocência


postado em 26/10/2015 14:34 / atualizado em 26/10/2015 15:05

Em Esse bicho sou eu, o poeta mineiro André di Bernardi passeia por um zoológico de descobertas, cria seu bestiário particular, investiga a criação divina, observa o que vê dos bichos em cada homem, e o que vê dos homens em cada bicho.

Com poética própria, o autor busca o olhar de criança - talvez de sua própria criança interior -, que ainda se assombra com detalhes, percebe e interpreta o mundo como nenhum adulto é capaz, talvez por falta daquela sensibilidade própria de quem ainda coleciona poucas certezas.

Com o livro, o autor se torna pássaro e borboleta, tigre e girafa, rinoceronte, gato e tantos outros, bichos que compartilham com os homens e as crianças o mesmo espaço-mundo e buscam viver e sobreviver com sua graça, suavidade e beleza particular.

André di Bernardi é poeta e jornalista. Crítico e autor de cinco livros de poesia, lança seu primeiro livro infantil pela Editora Jaguatirica.
André di Bernardi é poeta e jornalista. Crítico e autor de cinco livros de poesia, lança seu primeiro livro infantil pela Editora Jaguatirica.

As ilustrações de Heleno Nunes captam a simplicidade e a leveza da poesia, com seu traço minimalista, firme e despida de excesso, combinando com a essência poética da obra.

É assim que Esse bicho sou eu resgata a inocência perdida e o respeito perante a criação, trazendo para as crianças a possibilidade divertida da metamorfose criativa, unindo todos eles em um corpo só. Esse corpo de vida que habita o mundo Terra, e que precisa, mais do que de sol e água, de muita poesia para sobreviver.

Editora Jaguatirica, 66 páginas, R$ 30.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade