UAI
Publicidade

Estado de Minas CRIME

Jovem é morto em praça pública no encerramento de festival em Itabira

Apesar do tumulto e desespero do público, organização do Festival de Inverno de Itabira deu sequência à programação, com dois shows


18/07/2022 12:22 - atualizado 18/07/2022 13:14

Policial militar observa local onde caiu o jovem de 18 anos atingido pelos tiros
Policial militar observa local onde caiu o jovem de 18 anos atingido pelos tiros (foto: DeFato Online)


Um jovem foi assassinado a tiros, por volta das 20h30 desse domingo (17/7), durante o encerramento do 48º Festival de Inverno, na praça do Areão, em Itabira.

Marcelo Marques Fonseca, de 18 anos, foi atingido por quatro disparos no rosto e no tórax. Ele foi socorrido pela equipe de brigadistas civis e levado às pressas para o Pronto-socorro Municipal de Itabira, ainda com vida, mas morreu no caminho. Não há, por enquanto, informações sobre os responsáveis pelo crime ou a motivação.
Em entrevista ao Portal DeFato, o sargento Campos, da Polícia Militar, explicou que a guarnição presente no local realizava o policiamento no entorno da festa quando escutou os estampidos e viu a correria. “Então, fomos informados que um rapaz fora baleado, comparecemos ao local e ele estava no chão”, detalhou. 

O sargento ainda conta que a Polícia Militar está dedicada a apurar os fatos, a autoria e o tipo de arma usada. Ainda durante a ocorrência, os militares fizeram o isolamento da área para a chegada da perícia da Polícia Civil para o trabalho de identificação da vítima e coleta de provas. 

Momentos de pânico

Área onde ocorria a festa de encerramento do Festival, pouco antes dos tiros
Área onde ocorria a festa de encerramento do Festival, pouco antes dos tiros (foto: DeFato Online)

O público se assustou com os tiros, o que provocou confusão e correria em uma evasão em massa do local. A maior parte das pessoas fugiu para o lado oposto aos disparos, onde estava o palco do evento. Isso causou empurra-empurra e um grande número de pessoas chegou a passar mal.

Muita gente perdeu documentos e objetos pessoais durante a fuga. Além disso, por se tratar de um evento que já acontecia desde o começo da tarde, muitas crianças acabaram se perdendo dos pais no tumulto.
A estudante de Relações Humanas, Maria Gabryelle, se diz traumatizada. Ela passava próximo a área do crime quando ele ocorreu. Segundo a jovem, sua única reação foi correr desesperadamente. “Acabei me perdendo das minhas amigas, logo depois tive uma crise de ansiedade, foi impossível ficar tranquila. Até o momento não estou bem, meu psicológico está muito abalado, estou bem traumatizada, na verdade. Nunca imaginei passar por isso, por ter sido bem próximo. Meu principal temor, naquele momento, era ser atingida por uma bala perdida. Se eu fechar o olho, só consigo pensar nos tiros do meu lado e o pessoal correndo”, relembra.

A estudante de 23 anos afirma estar indignada com a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), organizadora do evento, pelo show ter sido realizado, apesar do crime. “Acho uma falta de respeito e responsabilidade com a população o show ter continuado. Também uma falta de empatia com a família da vítima. Em um momento como esse, pessoas com o psicológico extremamente abalado, passando mal, e o show continuar? É uma vergonha, literalmente”, protesta Maria Gabryelli.
 
Mesmo com a situação, o evento seguiu como o programado, e a cantora Maria Gadú se apresentou após autorização da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade, instituição responsável pelo evento, que emitiu nota comentando o caso. Leia:
 
“A Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA) lamenta a ocorrência policial ocorrida na noite deste domingo (17), na Praça do Areão, durante o encerramento do 48º Festival de Inverno de Itabira.
 
A FCCDA, sempre atenta à segurança da população e após a manifestação de manutenção do policiamento pela Polícia Militar no intuito de garantir a segurança dos participantes, tomou a decisão de continuar o evento, com apresentação da cantora Maria Gadú.
 
O evento contava com amplo efetivo da Polícia Militar, seguranças particulares, brigadistas e ambulâncias, seguindo todo protocolo para eventos desse porte.
 
Vale ressaltar que durante os 22 dias de festival não foram registradas ocorrências policiais nos locais em que ocorreram os eventos.” 
 

Domingo violento

O assassinato no encerramento do Festival de Inverno não foi o único caso de homicídio em Itabira, no domingo (17/7). Mais cedo, durante a madrugada, um homem foi morto e três ficaram feridos quando o carro que estavam foi alvejado por tiros vindo de um homem que estava na garupa de uma motocicleta.
 
Segundo testemunhas, dez tiros foram disparados em direção ao carro das vítimas. O motorista do carro conseguiu ir até o estacionamento da Delegacia de Polícia Civil e pedir ajuda. Os homens que estavam na moto fugiram. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade