UAI
Publicidade

Estado de Minas CLIMA

Termômetro de recordes

Depois do frio de ontem, quando a capital registrou a menor mínima do ano e também para maio na série histórica, Minas segue na geladeira até o fim de semana


19/05/2022 04:00 - atualizado 19/05/2022 10:15

Os belo-horizontinos tiveram que tirar os casacos do armário ontem
Os belo-horizontinos tiveram que tirar os casacos do armário ontem, quando a mínima ficou em 6,7° na cidade (foto: Fotos: Jair Amaral/EM/D.A Press)


O dia mais frio do ano até então assustou os moradores de Belo Horizonte e região ontem, quando quando os termômetros caíram a 6,7°C na Estação Cercadinho, no Bairro Buritis, Região Oeste de BH. A temperatura foi a menor também para maio na série histórica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O recorde do mês era de 7,5°C, registrado em 20 de maio de 1977. E a previsão é de repetição da dose hoje, com mínima ainda menor, de 5°C. A máxima não deve passar dos 18°C. De acordo com o Inmet, Belo Horizonte está em onda de perigo por declínio de temperatura, assim como boa parte de Minas Gerais.

Em Belo Horizonte, quem estava no Buritis durante a manhã sofreu com a temperatura e os ventos fortes. O porteiro Aglair Borges, de 48 anos, contou que nem no sol dava para espantar o frio. “Para acordar hoje foi tranquilo. Mas para abrir a porta e sair de casa foi complicado. Mesmo com o sol, nem a blusa de frio está segurando”, disse ele.



A assistente administrativa Katia Barbosa, de 33 anos, contou que foi difícil sair de casa às 6h para trabalhar e já temia o frio da noite. “Em casa, estava tranquilo. Só percebi o frio quando saí. Tenho um problema pior porque estudo à noite. Voltar para casa é complicado”.

Já o estudante Nathan Haas, de 25 anos, impressionou ao sair de casa para fazer exercícios sem a blusa de frio. “Eu não me importo com o frio. O exercício esquenta também, já estou acostumado com essa rotina de acordar cedo e me exercitar”.

Por sua vez, a babá Patrícia Pena, de 41, tentou se esquentar em um banquinho do Parque Aggeo Pio Sobrinho, na Avenida Professor Mário Werneck, mas nem o sol foi suficiente. "Muito frio aqui. Foi difícil acordar hoje. Estou me preparando para a temperatura de amanhã (hoje). Sair de casa bem agasalhado e comer coisas mais quentinhas. Aqui realmente é muito frio".

No Centro de Belo Horizonte, a vendedora Sara Menezes, de 23, disse que fez hora na cama para se levantar e percebeu as ruas menos movimentadas e o ônibus vazio. “Normalmente, acordo às 5h30, hoje foi às 6h07. Estou com medo da mínima de amanhã (hoje)”. Na percepção de Sara, menos gente foi para a rua ontem.

Vendedor de uma loja de frutas e sucos, Hércules Batista, de 54, já começa a sentir falta da clientela, que costuma deixar esse tipo de produto de lado em dias frios. “As vendas caem muito, cerca de 70%. No frio, o pessoal busca bebidas e alimentos quentes para esquentar”.

O comerciante Alfredo Suarez, de 60, também apontou queda nas vendas. Alfredo é dono de uma peixaria no Mercado Central e disse que o movimento cai cerca de 20% nesta época do ano. “Já tem mais de 30 anos que mexo com câmara fria, então o frio não me incomoda. Já me acostumei. Mas nesta época, meu movimento cai. Perco uns 20% da clientela durante o frio”.

Aglair e Kátia enfrentaram frio no Bairro Buritis
Aglair e Kátia enfrentaram frio no Bairro Buritis, que registrou a menor temperatura da capital


PREVISÃO 

O estado continua sob o efeito da massa de ar frio polar até o fim de semana. “A massa de ar frio polar avançou desde a Região Sul do país em direção ao Sudeste, favorecendo as baixas temperaturas. A frente fria está indo em direção ao oceano, rumo ao estado da Bahia”, explica o meteorologista do Inmet, Claudemir Azevedo.

A previsão para hoje é de céu claro, com geada em pontos isolados nas Regiões Sul, Campo das Vertentes, Oeste, Triângulo, Alto Paranaíba, Zona da Mata, Central e até na Grande BH. “Não se descarta a formação de geadas em pontos isolados, visto que a massa de ar frio polar segue atuando com força no estado”, afirma o meteorologista. A mínima prevista no estado é de -1°C, na Região Sul e a máxima deve ser de 29°C na Região Norte. Segundo Azevedo, a tendência para os próximos dias é de temperatura baixa, mas com ligeira elevação. “Até o final da semana, temos condições favoráveis para a formação de geadas em pontos isolados das regiões Sul, Campo das Vertentes, Oeste, Triângulo, Zona da Mata e Central do estado.” Nas outras áreas, a previsão é de céu claro e sem chuvas nos próximos dias.

Vendedor de frutas no Mercado Central, Hércules Batista
Vendedor de frutas no Mercado Central, Hércules Batista perdeu a clientela por causa do clima


Amanhã, a mínima deve ser de 3°C no Sul do estado e 29°C no Norte. Em BH, a mínima fica em 7°C e a máxima em 21°C. No sábado, a previsão é de termômetros marcando 3°C na Região Sul e 30°C no Norte do estado. Na capital, a mínima deve ser de 8°C e a máxima de 22°C.

Já no domingo, o céu deve ficar claro, com possibilidade de geadas em pontos isolados das Regiões Sul, Campo das Vertentes, Oeste e Triângulo. A temperatura mínima deve ser de 3°C na Região Sul e máxima de 31°C no Norte do estado. Em BH, a previsão é de céu claro e sem possibilidade de chuvas. A mínima fica em 9°C e máxima em 22°C.

Segundo o meteorologista Ruibran dos Reis, do ClimaTempo, já é possível prever mais recordes de frio ao longo da temporada. “Não estamos mais sob influência de fenômenos como El Niño e La Niña e estamos entrando em estado de neutralidade. Dessa forma, nesse final de outono, e no inverno, entre meses de julho e agosto, será bem frio em Minas”, aposta. A temperatura mais baixa em BH até hoje foi de 3°C em 1° de junho de 1979.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade