UAI
Publicidade

Estado de Minas MEIO AMBIENTE

Parque Linear do Belvedere: área verde será retirada de leilão

Terreno entre BH e Nova Lima não será incluído em leilão do governo federal marcado para 25/3, afirma senador


12/03/2022 16:18 - atualizado 12/03/2022 21:59

vista do limite entre Belo Horizonte e Nova Lima, com área verde e prédios no Belvedere
Área de 50 hectares entre Belo Horizonte e Nova Lima, no Belvedere, iria a leilão (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 13/7/21)

Vitória importante para os moradores de Belo Horizonte, especialmente do Bairro Belvedere na Região Centro-Sul. Com uma mobilização de quase duas décadas pela preservação de uma área 50 hectares, com quatro quilômetros de comprimento no limite com Nova Lima, a comunidade recebeu uma boa notícia na manhã deste sábado (13/3).

A área no Belvedere será retirada do leilão marcado para o dia 25 e conduzido pelo governo federal. A suspensão abre caminho para a implantação oficial do Parque Linear do Belvedere, velho sonho dos residentes, ambientalistas e demais pessoas preocupadas com a conservação da natureza.

Ao se encontrar, no local, com outros parlamentares e representantes de várias entidades comunitárias e ambientais, o senador mineiro Alexandre Silveira (PSD) explicou a importância de se preservar a área que significa “um respiro” entre BH e Nova Lima, é fundamental para captação de água e abastecimento da cidade e “estava ameaçada de ser vendida para a iniciativa privada no leilão”.

 

A fim de barrar a venda, e garantir maior debate com a sociedade, o senador disse que se mobilizou junto ao Palácio do Planalto, Secretaria de Governo do presidente Jair Bolsonaro e Ministério da Economia. “Sabemos da necessidade do desenvolvimento para geração de emprego e renda e combate às desigualdades sociais, à miséria e à fome, mas devemos pensar na sobrevivência humana e evitar as agressões ambientais”.



A vereadora de BH Duda Salabert (PDT), que esteve no encontro deste sábado, comentou em sua conta no Instagram: “Vitória! O Parque Linear do Belvedere foi retirado do leilão que o venderia ao setor imobiliário. No cenário da crise climática e hídrica, garantimos a preservação dessa importante área verde. Caso vendido, o parque seria destruído e transformado possivelmente em condomínio de prédios”.

Primeira vitória do parque

A retirada da área do parque linear do leilão foi considerada “a primeira vitória” para a preservação da área, não só para nós, como para toda a capital”, disse o presidente da Associação dos Amigos do Bairro Belvedere, Ubirajara Pires Glória. “Consideramos uma decisão excelente, resultado da mobilização da comunidade. Estamos há 20 anos lutando para preservar esse pedaço de BH, que tem nascentes e áreas verdes”, disse Ubirajara.

linha férrea em área do Belvedere no qual será instalado parque
Moradores do Belvedere defendem criação de Parque Linear na região (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 13/7/21)


Os próximos desafios se dirigem à oficialização e concretização do espaço destinado ao parque linear. Desde 2002, a área de 50 hectares foi, informalmente, adotada pelos moradores, que cuidam da preservação ambiental e onde já plantaram milhares de árvores e sempre lutaram contra uma possível substituição do local por mais prédios.

Como o nome indica, o parque linear segue um traçado em linha, portanto costuma ser solução urbanística ideal, conforme especialistas, para margens de rios e linhas férreas, como ocorre no Belvedere, lugares com relação direta com o percurso linear. A área no Belvedere abrange um percurso de quatro quilômetros de extensão, incluindo os mananciais do Cercadinho e a Estação Ecológica. Também é uma área de preservação ambiental sob a jurisdição o Estado de Minas Gerais desde 2005.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade