UAI
Publicidade

Estado de Minas EDUCAÇÃO SUPERIOR

Com regime híbrido, UFMG retoma aulas presenciais nesta quarta (13/10)

Há um mês, atividades administrativas já voltaram na universidade, porém com 40% da capacidade de público


13/10/2021 07:58 - atualizado 13/10/2021 10:26

Escultura com prédio ao fundo sob céu azul
UFMG retorna às aulas com ensino híbrido e monitoramento de casos suspeitos (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )


A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) retoma, nesta quarta (13/10), suas aulas presenciais depois de 574 dias. Apesar disso, a UFMG vai continua com atividades remotas, portanto haverá expediente híbrido nessas primeiras semanas.

Há exatamente um mês, a UFMG já oferece serviços administrativos de maneira presencial. Porém, os espaços têm ocupação máxima de 40% para evitar aglomerações.

Apesar disso, medidas de biossegurança contra o novo coronavírus continuam. O uso da máscara é obrigatório, assim como o distanciamento mínimo de 1,5 metro e a higienização frequente das mãos com sabão e/ou álcool em gel.

Além disso, a universidade incentiva o uso das escadas em vez dos elevadores quando possível. Nas entradas e saídas dos campi, a orientação é para que haja “registro de nome e telefone para a população em geral para garantir a rastreabilidade”, ressalta o plano de retomada da UFMG.


No interior dos prédios, o documento destaca a necessidade de marcações nos pisos, sobretudo para estabelecer “mão e contramão” para o fluxo de pessoas.

Os bebedouros continuam interditados, com necessidade de coleta da água por meio de copo ou garrafa, informa a UFMG.

 

Dentro das salas, a orientação é para manter as janelas abertas e portas abertas, sempre evitando o acionamento do ar-condicionado.

Em caso de suspeita de COVID-19, a UFMG se compromete a fazer um monitoramento com realização do teste de RT-PCR (padrão-ouro da OMS), rastreamento dos contatos daquela pessoa e maior cuidado com aqueles com alguma comorbidade da COVID-19. Tudo para evitar potenciais surtos.

A UFMG estava sem aulas presenciais desde 18 de março do ano passado, quando a universidade suspendeu as aulas presenciais por conta da COVID-19. Foram quase 19 meses com as salas fechadas.

Critérios


Para definir a retomada das aulas presenciais, a UFMG adotou quatro critérios principais:

  • Situação em Minas Gerais (onda do Programa Minas Consciente)
  • Situação na cidade (onda ou nível de alerta da cidade onde as aulas vão acontecer)
  • Taxa de incidência de casos na cidade (Total de novos casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias)
  • Tendência da incidência na cidade (variação do indicador anterior nos últimos sete dias)


O ensino presencial só será integrado quando todos esses quatro parâmetros estiverem completamente controlados.

 

Doutorando opina

 

Para Felipe Resende Oliveira de Souza, 28, doutorando em um projeto de biologia celular sobre o novo coronavírus, o retorno às aulas presenciais precisa ser "bem gradativo".

 

"Notei um movimento maior, mas não está nem perto da ocupação de 40%. Ainda têm poucas pessoas. Acho que precisa ser bem gradativo mesmo, porque a universidade reúne um número de pessoas num espaço relativamente pequeno: salas de aula e laboratórios. As universidades têm que ser os últimos lugares a voltar", diz Felipe.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade