UAI
Publicidade

Estado de Minas BAIRRO APARECIDA

Criminosos tentam queimar ônibus e deixam carta de presidiários a Zema

No texto, entregue ao motorista do ônibus em BH, exigência do retorno das visitas aos presídios e da entrega de alimentos por familiares dos detentos em Minas


06/10/2021 08:17 - atualizado 07/10/2021 22:22

Ônibus da linha 4102 com letreiro ligado
Unidade do ônibus 4102 (Aparecida/Serra), que foi alvo de tentativa de incêndio na Rua Major Delfino de Paula (foto: Divulgação/Guarda Civil Municipal de BH)
 

 

Um trio de criminosos tentou colocar fogo em um ônibus em Belo Horizonte, durante a madrugada desta quarta-feira (6/10). De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu na Rua Major Delfino de Paula, no Bairro Aparecida, Região Noroeste da capital mineira.

O trio abordou o motorista no ponto final da linha 4102 (Aparecida/Serra). Apenas um passageiro estava no veículo, que saiu às pressas ao lado do condutor do ônibus, segundo a PM.

O motorista contou que os três criminosos espalharam um líquido de cor amarela e colocaram fogo nas partes frontal e central do ônibus. Mas, as chamas não se espalharam, provocando apenas pequenos danos na lataria do veículo.

Os três fugiram correndo e não foram presos. Ao perceber que as chamas não se espalharam, o motorista ligou o motor e deixou o local.

 

Elevador de ônibus queimado
Elevador do ônibus registra resquícios do fogo iniciado pelos criminosos (foto: Divulgação/Guarda Civil Municipal de BH)
 

 

Ele só parou quando encontrou com uma viatura da Guarda Municipal, na marginal do Anel Rodoviário, na região do Bairro Eymard, Regional Nordeste de BH.

A Guarda Civil Municipal de BH informou que “as chamas foram debeladas pelo próprio motorista, danificando apenas o para-choque dianteiro do veículo”. E confirmou os outros dados repassados pela PM.

A ocorrência seguiu para a Central de Flagrantes IV, no Bairro Alípio de Melo, na Pampulha.

 

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que "instaurou procedimento investigativo para apurar as circunstâncias, a motivação e a autoria do crime". Não há detidos até o momento.

Carta a Zema

Folha de papel amassada
Carta que detentos escreveram ao governador para pedir retorno de visitas aos presídios (foto: Divulgação/Guarda Civil Municipal de BH)
 

 

A motivação do crime, mais uma vez, gira em torno do sistema prisional. O trio acusado do crime entregou uma carta digitada ao motorista e pediu para que o texto fosse entregue na sede da empresa de ônibus.

O texto pedia a retomada das visitas aos presídios mineiros, já que os detentos e agentes penitenciários estão vacinados contra a COVID-19.

Os criminosos também solicitavam a volta da entrega de alimentos nas unidades prisionais por parte daqueles que visitam esses equipamentos públicos.

A Guarda Municipal apreendeu a carta e encaminhou à Polícia Civil para auxiliar nas investigações.

 

A Polícia Civil informou que o documento vai "auxiliar nos trabalhos investigativos, que seguem a cargo da 4ª Delegacia de Polícia Civil Noroeste". 

 

Em nota, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que "acompanha e colabora com as investigações, que estão a cargo da Polícia Civil,  a partir da qual será possível afirmar se realmente há relação entre a ocorrência e o sistema prisional".

Segundo a Sejusp, "as unidades prisionais já realizam as visitas presenciais, mas sem entrega de pertences ou alimentos".

Contudo, destacou que "as visitas seguem protocolos sanitários que incluem distanciamento e redução do tempo permitido – podendo durar até 3h".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade