UAI
Publicidade

Estado de Minas INVERNO GELADO

BH começa a perder clima 'londrino' a partir de segunda-feira (2/8)

Este sábado (31/7) ainda terá temperaturas baixas, mas massa de ar frio tende a perder força, com marcas mais altas até segunda-feira (2/8)


31/07/2021 04:00 - atualizado 31/07/2021 09:00

A mínima registrada neste sábado (31/7) em Belo Horizonte foi de 7,5°C(foto: Leandro Couri/EM/D. A Press)
A mínima registrada neste sábado (31/7) em Belo Horizonte foi de 7,5°C (foto: Leandro Couri/EM/D. A Press)
O frio vai perder intensidade de forma gradual ao longo dos próximos dias em Minas Gerais e o fim de semana será menos gelado que durante a semana. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a mínima registrada neste sábado (31/7) em Belo Horizonte foi de 7,5°C na Estação Cercadinho entre 5h e 6h e se repetiu entre 6h e 7h. Nestes intervalos, a maior intensidade do vento chegou a até 58 km/h no ponto mais alto da cidade. Na Pampulha, a mínima foi de 10,9°C às 7h e os ventos chegaram a 21 km/h. 

Segundo a meteorologista do Inmet, Anete Fernandes, as temperaturas começam a subir (embora o frio permaneça) a partir de segunda-feira (2/8). "Para o estado, há previsão de geada no Sul para domingo e segunda-feira, mas a massa de ar frio está perdendo intensidade e o centro da alta foi para o oceano. Então, teremos temperaturas amenas até o início da semana", explicou. 

Temperatura de sexta-feira, de 6,3°C, com sensação térmica de 9°C negativos, foi a menor do ano e se destacou nos termômetros históricos (foto: Leandro Couri/EM/D. A Press)
Temperatura de sexta-feira, de 6,3°C, com sensação térmica de 9°C negativos, foi a menor do ano e se destacou nos termômetros históricos (foto: Leandro Couri/EM/D. A Press)

Em Belo Horizonte, a mínima prevista para o domingo será de 7°C e a máxima de 24°C. Na segunda, a mínima sobe para 8°C, 10°C na terça e, na quarta, chega a 12°C.  Já as máximas vão variar de 24°C a 27°C.

No estado, a mínima registrada ocorreu em três cidades: Monte Verde, Maria da Fé e Caldas, onde os termômetros marcaram -1,5°C. Já a máxima (32 °C) foi em Montalvânia, no Norte de Minas.     

Semana gelada


As baixas temperaturas deixaram a semana gelada e marcaram a maior baixa do ano em Belo Horizonte, de 6,3°C, mas com sensação térmica de 9°C negativos, segundo o Inmet. Como já era previsto há alguns dias, o resfriamento se deve à passagem de uma frente fria sobre Minas.

As previsões, porém, não chegam a ser motivo de comemoração. Nessa sexta, a Defesa Civil emitiu novo alerta de baixa umidade para BH.

Segundo o órgão, a massa de ar seco deixa os índices de umidade relativa do ar em torno de 30% Esse alerta é válido até as 19h da próxima sexta-feira (6/8). O ideal, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é que a umidade varie entre 50% e 80%.

No país, após uma semana marcada pela chegada de frente fria aliada a uma massa de ar polar, as temperaturas nas capitais do Sul e Sudeste continuam baixas nestes sábado e domingo, mas começam a subir aos poucos. À exceção de Vitória (Espírito Santo), as mínimas continuam abaixo de 10°C. Temperaturas amenas são esperadas com mais certeza para segunda-feira.

No Sul, os termômetros das três capitais variam entre 3°C e 20°C neste fim de semana. Entre elas, somente Florianópolis tem previsão de chuva neste domingo. Na última quarta-feira, 41 cidades das serras catarinense e gaúcha registraram neve. No Sudeste, a temperatura volta a subir na cidade de São Paulo após o segundo dia consecutivo com recorde de frio.

Recorde


A baixa temperatura registrada nessa sexta-feira na capital mineira, de, 6,3°C, a menor do ano, chamou a atenção também porque a sensação de frio foi ainda maior, como informou o Inmet. A temperatura mínima na capital mineira ocorreu na estação meteorológica do Cercadinho, que fica em um ponto alto da Região Oeste de BH.

Nas capitais do Sudeste, como São Paulo, e do Sul, tendência é de frio menos intenso (foto: Bruno Rocha/Enquadrar/Estadão Contéudo)
Nas capitais do Sudeste, como São Paulo, e do Sul, tendência é de frio menos intenso (foto: Bruno Rocha/Enquadrar/Estadão Contéudo)
O meteorologista Claudemir Azevedo, do Inmet, explicou que o cálculo da sensação térmica - que é a sensação do frio ou calor na pele - leva em conta a temperatura e a velocidade dos ventos. Foi de 9°C negativos no momento em que a marca chegava aos 6,3°C porque os ventos sopravam a 50 quilômetros por hora.

Essa temperatura se igualou à menor já registrada na capital segundo a série histórica, que leva em consideração somente as medições realizadas pela chamada estação meteorológica convencional, que fica no Bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul da capital, instalada na cidade no início do século XX. Foi, portanto,  comparável à temperatura verificada em 6 de junho de 1969 na estação de referência de BH.

Ainda segundo o Inmet, em 1985 a menor temperatura da cidade também foi de 6,3°C. BH teve 6,4°C como a menor marca de 1979 nos dias 12 e 13 de julho. Os 6,3°C de ontem também  representaram a terceira menor marca dos últimos cinco anos, de acordo com o instituto. A menor de 2017 até agora foi em 7 de julho de 2019, quando a estação do Cercadinho marcou 5,7°C.

Ajuda

Como o Estado de Minas mostrou em sua edição dessa sexta-feira, os belo-horizontinos sem-teto estão enfrentando o inverno rigoroso na capital sob cobertores finos e lona. O número de pessoas em situação de rua em BH é estimado em 8,8 mil pelo Projeto Polos de Cidadania, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Na quinta-feira (30/8), com a previsão da nova queda de temperatura, a Prefeitura de Belo Horizonte anunciou um plano de contingência para tentar proteger essa parcela da população. As medidas vão desde a entrega de cobertores à disponibilização de uma linha de emergência durante a noite. Entidades da capital também organizaram campanhas do agasalho para distribuir às doações a quem mais precisa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade