Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Ocupação dos leitos de UTI Covid recua pela terceira vez seguida em BH

Indicador marca 71,8%, a menor marca desde 26 de fevereiro, e caminha para deixar a zona crítica da escala de risco. Transmissão também cai


18/06/2021 18:41 - atualizado 18/06/2021 19:21

Atual cenário dos indicadores da pandemia em BH(foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
Atual cenário dos indicadores da pandemia em BH (foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
 

 

A ocupação dos leitos de UTI para pacientes com COVID-19 caiu pelo terceiro balanço em sequência em Belo Horizonte nesta sexta (18/6). De acordo com boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura, o indicador está em 71,8% e se aproxima de deixar a zona crítica da escala de risco.

 

 

 

O parâmetro está no estágio grave desde 26 de fevereiro, quando marcou 70,1%. A taxa computada nesta sexta é a menor desde então.

 

 

 

A taxa de transmissão do novo coronavírus por infectado também caiu nesta sexta. De acordo com o documento público, o dado diminuiu de 0,91 para 0,9.

 

 

 

Portanto, o chamado fator RT está na zona controlada, abaixo de 1. No cenário atual, 90 pessoas são vítimas da pandemia, em média, a cada 100 infectados. A estatística está na zona de segurança desde o início de junho.

Por outro lado, a ocupação dos leitos de enfermaria aumentou pelo terceiro balanço em sequência. Atualmente, 55,5% das camas do tipo estão em uso na soma entre as redes pública e privada de BH.

Esse percentual diz respeito apenas às vagas reservadas para pacientes com COVID-19. Nesse panorama, o indicador está na zona intermediária, entre 50 e 70 pontos porcentuais.

Casos e mortes


Mais 38 mortes e 1.220 casos confirmados da doença entraram para o boletim nesta quinta. Agora, BH soma 227.764 diagnósticos: 5.560 vidas perdidas, 7.491 pacientes em acompanhamento e 214.713 recuperados.

Em junho, a capital mineira soma 460 óbitos e 22.974 casos confirmados da doença.

Vacinação


Belo Horizonte registra 1.010.695 pessoas vacinadas contra a COVID-19 com a primeira dose até esta sexta. Outras 413.953 receberam a segunda.

Portanto, a capital mineira vacinou 49,6% do seu público-alvo com a primeira injeção. Por outro lado, 20,3% desse mesmo contingente completou o esquema vacinal.

Segundo números da prefeitura, 61.576 profissionais da educação tomaram a primeira dose do imunizante.

Além deles, 186.197 trabalhadores da saúde, 18.084 servidores da segurança pública, 464.047 idosos acima de 60 anos e 191.381 pessoas do grupo de risco, gestantes e puérperas receberam a injeção.

A população entre 55 e 59 representa 58.789 vacinados. Outros grupos, como os garis e os motoristas de ônibus, receberam 30.621 injeções de primeira dose.

A cidade recebeu 1.691.345 imunizantes para se proteger da COVID-19 até este boletim: 808.565 da CoronaVac (Sinovac/Butantan), 710.676 da AstraZeneca (Oxford/Fiocruz) e 172.104 da Comirnaty (Pfizer).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade