Publicidade

Estado de Minas Meteorologia

Fevereiro entre os mais chuvosos da história

BH teve a terceiro maior marca histórica de precipitação para o mês desde o início das medições. Aguaceiro deve dar trégua em março


02/03/2021 04:00 - atualizado 02/03/2021 07:10


Com um acumulado mensal de 431,9 milímetros de precipitação em 28 dias, fevereiro de 2021 se tornou o terceiro mais chuvoso da história de Belo Horizonte, segundo informação do boletim do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O maior índice de chuva para esse mês desde o início da medição, em 1911, ocorreu em 1978, quando choveu 487,3 milímetros na cidade. Em segundo lugar vem 1916, com 469,3 milímetros. O volume registrado no mês passado ficou 138% acima da média histórica, de 181,4 milímetros.

A estação de referência para a climatologia de Belo Horizonte é a do Bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul. “Nas outras duas estações da capital, o acumulado mensal de chuva foi de 416,6mm na Pampulha e de 490mm no Cercadinho”, informa o boletim do Inmet.

O grande volume de chuvas trouxe consequências na capital, principalmente no dia 7, quando houve alagamentos nas avenidas Cristiano Machado e Vilarinho. No Bairro Primeiro de Maio, Região Norte da cidade, casas foram danificadas. Somente na primeira semana de fevereiro, choveu 77% do esperado para o mês.

Desde o início do período chuvoso na capital, duas pessoas morreram. Em janeiro, um adolescente de 13 anos se afogou após ser arrastado pela enxurrada no Bairro Santa Rosa, Região da Pampulha. Em 7 de fevereiro, um homem de 44 anos desapareceu após pular no Córrego Ressaca. O corpo foi localizado no dia 10, no Parque Ecológico da Pampulha.

A tendência para março, último mês da temporada de chuvas, é de que a precipitação diminua na capital e no restante do estado. Na capital, o primeiro dia do mês surpreendeu, com frio pela manhã. Apesar de a temperatura não ter caído em relação aos outros dias, o aumento dos ventos afeta a sensação térmica, segundo a meteorologia.

Segundo a meteorologista Anete Fernandes, do Inmet, a mínima na capital foi 16,3°C na estação meteorológica do Cercadinho, no ponto mais alto da Região Oeste de BH. A temperatura não é muito diferente das mínimas registradas nos últimos dias, assim como o céu encoberto.

“O frio deve persistir até a quarta-feira pela manhã, com a mínima na casa dos 16°C e esse ventinho, principalmente na madrugada. A partir da quinta-feira, o calor já aumenta”, afirma. De acordo com a meteorologista do Inmet, março é o mês do declínio do período chuvoso. Conforme o histórico no estado, a partir da segunda quinzena as chuvas tendem a virar pancadas isoladas à tarde ou à noite, até pararem de ocorrer.

Alertas de tempestade


Mais de 2,6 mil alertas de tempestades severas foram divulgados para a população da segunda quinzena de setembro de 2020 até a última sexta-feira, segundo o Sistema Estadual de Meio Ambiente. Os avisos chamam a atenção para a possibilidade de chuva forte, acompanhada de granizo, vendavais e tornados, e ajudam a prevenir moradores de cidades atingidas. No último balanço, feito em julho de 2020 pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos de Desastres, do Ministério do Desenvolvimento Regional, consta que 939.707 mineiros fizeram o cadastro para receber os alertas da Cedec. Para isso, o cidadão deve enviar SMS, gratuitamente, informando o CEP da residência em que mora para o número 40199.

Aguaceiro

Confira o volume de chuvas registrado por regional de BH, em milímetros, segundo a Defesa Civil Municipal. Entre parêntesis, o percentual acima da média histórica geral de BH para fevereiro

Barreiro - 525,6 (289,7%)

Centro Sul - 526,0 (290%)

Leste - 443,6 (244,5%)

Nordeste - 469,6 (258,9%)

Noroeste - 503,6 (277,6%)

Norte - 462,6 (255,0%)

Oeste - 365,8 (201,7%)

Pampulha - 418,2 (230,5%)

Venda Nova - 384,8 (212,1%)

Média Climatológica de fevereiro: 181,4 mm



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade