UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Festas em Betim podem gerar multas de até R$ 92 mil reais

A Prefeitura de Betim suspendeu emissões de alvarás para a realização de festas; novo Decreto coloca mais rigor nas medidas de distanciamento social


05/01/2021 20:11 - atualizado 05/01/2021 20:53

Constantemente vídeos e fotos de festas e aglomerações em bares são publicadas nas redes sociais de moradores de Betim. (foto: Redes Sociais/Divulgação)
Constantemente vídeos e fotos de festas e aglomerações em bares são publicadas nas redes sociais de moradores de Betim. (foto: Redes Sociais/Divulgação)
O prefeito de Betim, Vittorio Medioli, anunciou novas mudanças no protocolo de autorização de eventos na cidade. Com validade a partir desta quarta-feira (06/01) até 28 de fevereiro, um novo decreto suspende as emissões de alvará para as realizações de eventos no município, com público superior a 24 pessoas.

A medida é para forçar o cumprimento das medidas de distanciamento social e evitar que os números de casos da COVID-19 sobrem ainda mais. 
 
A nova determinação fixa multas a partir de R$ 4 mil e que podem chegar até R$ 92 mil, para o proprietário do imóvel, ocasionando até a lacração imediata do estabelecimento pelo prazo de 120 dias. 
 
“Essa é a maneira que nós temos para mostrar que não pode haver eventos. É lamentável, e nunca teríamos gostado de chegar a isso. Mas estamos com organizações agindo e realizando eventos clandestinos na cidade, sem alvará, sem cumprirem as normas sanitárias. Bailes funks ilegais que duram horas. Não podemos aceitar isso", disse Vittorio.

"A multa não será só para o organizador, mas para o proprietário do imóvel, que cedeu o espaço para a festa. Ele não pode lavar as mãos e achar que não tem responsabilidade. A multa vai para o proprietário, pois a responsabilidade é dele. Sem alvará, não pode haver evento", salientou o prefeito.

Encontros familiares são exceções

 
Ficam permitidos apenas os eventos de natureza familiar, com no máximo 24 pessoas, e os eventos religiosos que, excepcionalmente, forem autorizados pela Comissão de Monitoramento da Violência em Eventos Esportivos e Culturais (COMOVEEC), desde que mantidas as regras de segurança, biossegurança e distanciamento social.
 
"Cada um de nós tem uma responsabilidade em conjunto com a sociedade. Quanto mais controlada for a pandemia, mais empregos serão gerados,  mais receitas públicas”, afirmou Medioli que não vê a possibilidade, ainda, do comércio não essencial ser fechado como já está ocorrendo em outras cidades. 

Guarda Municipal e PM poderão agir contra festas

 
Em live publicada em sua rede social na última segunda-feira (04/01), Medioli mostrou bastante preocupação com o aumento dos números de casos positivos da COVID-19 em Betim e demonstrou que não medirá esforços para manter as regras. Segundo ele, um convênio foi feito com a Polícia Militar, a Guarda Municipal e o Ministério Público e as festas não serão toleradas. 
 
“Estamos colocando ônibus, tropa de choque, para serem presos. Vão fazer irresponsabilidade onde quiserem, mas em Betim não. Isso é um crime contra a segurança pública e sanitária. Estamos pedindo investigação sobre as festas clandestinas que ocorreram no réveillon. E os bares onde as pessoas não usam máscaras e não há distanciamento levará multa e será lacrado”, ressalta o prefeito que faz o alerta: “Vamos bater pesado. Irresponsabilidade em Betim vai dar cadeia”.
 
Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela secretaria municipal de saúde de Betim, nesta terça-feira (05/01), a cidade acumula 11.064 casos confirmados da COVID-19, sendo 10.186 recuperados e 326 mortes pela doença. Atualmente, 522 pessoas estão sendo acompanhadas. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade