Publicidade

Estado de Minas PERTO DE FRUTAL

Filha do médico morto em acidente acredita que pai tenha dormido ao volante

Ele morava em Frutal com mulher e três filhas há cerca de 30 anos; família recebeu inúmeras mensagens de carinho


10/08/2020 13:55 - atualizado 10/08/2020 15:00

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
A médica Bruna Pavan, filha do médico, o cirurgião-geral Rogério Pavan, de 62 anos, morto em acidente na tarde do último domingo (9) acredita que o pai possa ter dormido ao volante. “Um motociclista que estava atrás de seu carro contou que momentos antes do acidente ele trafegou em zig-zag pela rodovia”, contou.

Rogério era muito conhecido e querido em Frutal (MG), e morreu carbonizado quando seu veículo, um Jeep Compass preto, se incendiou após uma batida frontal com um caminhão-tanque bitrem, de São Caetano do Sul (SP), carregado com hexano, uma substância altamente inflamável.  


Com o impacto, que aconteceu na BR-153, proximidades de Frutal, em frente ao Posto Marajó, o caminhão tombou e também pegou fogo, mas o motorista não ficou ferido. Segundo informações, o médico retornava a Frutal depois que passou parte do dia na zona rural de Comendador Gomes. Após os trabalhos da perícia técnica, a Polícia Civil (PC) de Frutal vai investigar as causas da colisão. Ainda conforme informações, o médico teria perdido o controle da sua direção, sendo que o motorista do caminhão teria tentado evitar a batida, mas sem sucesso.

Mensagens de carinho

 

Natural de Botucatu (SP), o médico morava em Frutal há cerca de 30 anos. Ainda segundo a filha de Rogério, Bruna Pavan, foram inúmeras as mensagens de carinho recebidas pela família. “Meu pai estava em Frutal há 31 anos. Ele atuava no Hospital Municipal Frei Gabriel e tinha um consultório próprio. Pelo que eu conhecia dele, eu acho que ele dormiu ao volante. Nós somos cristãos. Ele frequentava a Igreja Presbiteriana e estudava muito a Bíblia. Acredito que ele cumpriu a sua missão”, disse. 


“Quando chegamos ao local, os dois veículos já estavam totalmente tomados pelas chamas. No combate ao fogo, foi necessária grande quantidade de água, resfriando os tanques para impedir uma possível explosão. Para isso, contamos com os apoios das usinas Cerradão e Bung, além dos caminhões da Concessionária Triunfo”, contou o sargento do Corpo de Bombeiros de Frutal, Pedro Porto.

Trânsito interrompido

Por conta do grave acidente, o tráfego da BR-153 ficou interrompido nos dois sentidos por cerca de cinco horas, causando vários quilômetros de congestionamento. Somente por volta das 20h, os bombeiros conseguiram extinguir totalmente as chamas dos dois veículos.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local para controlar o trânsito e também ouvir a versão do motorista do caminhão sobre o acidente. Também compareceram a Polícia Militar do Meio Ambiente e o PEMAD (Pelotão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastres (Pemad) do Corpo de Bombeiros de Frutal no intuito de realizar a retirada do líquido inflamável e destombamento da carreta, além de avaliação do estrago provocado pelo acidente ao meio ambiente.

O sepultamento do médico será na manhã desta terça-feira (11), no Cemitério Municipal de Frutal.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade