Publicidade

Estado de Minas

Entrega de cestas básicas e kits de higiene muda e é aperfeiçoada em Belo Horizonte

Prefeitura da capital unifica a entrega dos produtos com novo processo de consulta


postado em 01/06/2020 08:57

(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

A partir desta segunda-feira, a entrega das cestas básicas realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte para auxílio a famílias de alunos da rede municipal de educação, além de pessoas em situção de vulnerabilidade social e econômica, é aperfeiçoada. A PBH unificou a data de consulta e o site de acesso às informações para recebimento das cestas básicas distribuídas durante a pandemia. A alteração também vale para as informações sobre os kits de higiene. De agora em diante, as cestas básicas passam a ser disponibilizadas junto aos produtos de higiene. Começando nesta segunda-feira, todos os grupos têm a consulta disponível, e a retirada no supermercados acontece a partir desta quarta-feira (3).

A consulta agora é feita em novo endereço. Quem tentar acessar o antigo site, será logo direcionado à plataforma unificada (confira as informações de retirada neste link). A mudança tem como objetivo facilitar a consulta e evitar que uma pessoa não encontre seus dados ao acessar equivocadamente a plataforma da educação, quando, na verdade, deveria acessar a consulta para famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica. Os canais de suporte via chat na própria página da consulta permanecem os mesmos.

"A medida qualifica a atuação da prefeitura a partir da escuta das famílias atendidas e da percepção das equipes intersetoriais que atuam nesta ação. Este é mais um passo para melhoria do atendimento, já que no momento inicial da pandemia tivemos que agir muito rapidamente para que o acesso imediato fosse garantido", diz a secretária municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, Maíra Colares.

Outro procedimento revisto para otimizar a entrega das cestas básicas e kits de higiene é a unificação também do calendário. A escala será mantida, de acordo com a capacidade dos supermercados, com a ordem de entrega dos meses anteriores. As famílias que retiram os produtos no início do mês continuarão retirando nesse período, já que as cestas e kits foram planejados para durarem por 30 dias. Haverá a distribuição enquanto durar a situação de emergência por causa do coronavírus.

Moradores de vilas, favelas e ocupações foram orientados quanto às mudanças. Na última semana, a PBH enviou mensagens de texto nos celulares de quase 100 mil famílias que têm direito às cesta básicas, cadastradas em políticas de habitação e no CadÚnico. As equipes de saúde entregaram ainda uma média de 300 mil panfletos para este público, com orientações sobre o acesso à cesta. Os Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) e a Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) também estão reforçando a busca ativa aos usuários, a fim de alcançar famílias que não retiraram os produtos em maio, ampliando o acesso no mês que começa.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade