Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil busca origem de vídeo de fake news sobre caixões em BH

Prefeitura já havia se posicionado desmentindo as informações que circulam nas redes sociais


postado em 02/05/2020 14:14 / atualizado em 03/05/2020 09:44

Polícia diz que quem tiver informações sobre a origem das imagens deve ligar para o Disque-Denúncia 181(foto: WhatsApp/Reprodução)
Polícia diz que quem tiver informações sobre a origem das imagens deve ligar para o Disque-Denúncia 181 (foto: WhatsApp/Reprodução)


O vídeo com informações falsas que circula nas redes sociais, de uma mulher dizendo que “caixões estão sendo enterrados com pedras e pedaços de madeira em vez de corpos em BH”, será alvo de investigações da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). Por meio de nota, a corporação confirma que está levantando informações para apurar a origem do vídeo. “Quem tiver informações sobre essa mulher, é importante denunciar no 181”, diz o comunicado. 

 

Na gravação, a mulher procurada diz que: "mandaram arrancar todos os caixões para poder fazer o exame e ver se é coronavírus mesmo. Sabe o que tem dentro do caixão? Pedra e madeira. Um monte de caixão cheio de pedra e madeira". A princípio, o caso é tratado como divulgação de fake news, mas é importante ressaltar que a responsável pode responder por difamação, desde que o ofendido faça uma representação contra ela. 

 

Na sexta-feira, (1º/5), a Prefeitura de Belo Horizonte já havia se manifestado sobre o vídeo, desmentindo as informações, classificadas pelo governo municipal como “sem fundamento”. Em nota, a PBH também afirma que "os sepultamentos em cemitérios públicos e privados na capital mineira são realizados, exclusivamente, por profissionais específicos (coveiros) de cada necrópole - utilizando equipamento de proteção individual e adotando as medidas sanitárias cabíveis."

Nos cemitérios municipais da capital mineira, os sepultamentos são feitos mediante a apresentação de atestado de óbito ou da guia de sepultamento emitida pelo cartório em conformidade com as informações contida no atestado de óbito.

 

"Esta deve ser apresentada no cemitério, acompanhada de documentos pessoais do solicitante - familiar ou pessoa responsável pela solicitação -, que deve comprovar seu vínculo com o falecido (por meio de documentos pessoais e/ou procuração)", finalizou a nota da Prefeitura.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade