Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Voluntários buscam profissionais para lazer e dicas on-line a pessoas de baixa renda

Com risco de carência e problemas psicológicos no isolamento, projeto de BH convida nutricionistas, artesãos e contadores de história


postado em 14/04/2020 15:38 / atualizado em 14/04/2020 16:04

Projeto existe desde 2016(foto: Divulgação/ Roma Amor)
Projeto existe desde 2016 (foto: Divulgação/ Roma Amor)

Com o número de casos de COVID-19 cada vez maior no país, aumenta também o receio de pessoas em sair de casa. No entanto, o isolamento social, apesar de necessário, gera consequências drásticas para além da economia, como problemas psicológicos e carência. Foi pensando nisso que uma instituição de programa voluntário resolveu criar mais um projeto: profissionais de várias áreas estão sendo convidados para promover sessões de ensino e lazer para pessoas de baixa renda.

O projeto Roma Amor, coordenado pela neurolinguista Rosy Verena, vem fazendo ações sociais em Blelo Horizonte desde 2016, mas, devido à pandemia, o grupo teve de parar os trabalhos para evitar contaminações. “Quando surgiu esse vírus, eu fiquei me perguntando o que eu ia fazer, já que não estava saindo. Aí, me ligaram perguntando se eu conhecia algum fisioterapeuta que podia prestar serviço pela internet”, relembra Rosy.

Foi aí que surgiu a ideia de reunir profissionais que pudessem oferecer diversos serviços on-line. Graduando em psicologia no Centro Universitário Newton Paiva, de Belo Horizonte, ela já conhecida alguns profissionais da área e resolveu convidá-los para oferecer seus serviços. 

Após divulgar em suas redes sociais, Rosy percebeu que muitas pessoas realmente precisavam de auxílio profissional. "As vagas para o atendimento on-line nas áreas da psicologia e programação neurolinguística acabaram em poucos dias. Ao conhecer melhor a situação dessas pessoas, percebemos que eles precisam de muito mais”, diz.

Ao longo dos dias, Rosy foi notando que poderia incluir também profissionais de outras áreas e que fossem capaz de oferecer lazer e ensino a pessoas de baixa renda. Desde então, ela vem procurando nutricionistas, fisioterapeutas, artesãos, desenhistas, contadores de histórias, entre outras áreas. “Qualquer pessoa que esteja disposta a passar conhecimentos  adiante pode fazer parte desse projeto. O que é mais caro neste mundo é o tempo e isso é justamente o que nós mais temos hoje. Vamos doar tempo”, defende.

Aqueles profissionais interessados e pessoas que desejam se inscrever para receber os atendimentos podem se inscrever pelo setor “contato”, no site do projeto www.projetoromaamor.com ou enviar e-mail para rosyrosaamor@gmail.com. O serviço pode ser utilizado também por aquelas pessoas que estejam passando por crises psicológicas e que necessitam de apoio.

*Estagiário sob supervisão do subeditor Eduardo Murta


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade