Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Exaltação ao patrimônio


postado em 22/02/2020 04:00

Sombrias coloridas decoram as ruas de Ouro Preto, que celebra também os 40 anos da conquista de título de patrimônio da humanidade (foto: Ane Souz/Prefeitura de Ouro Preto/divulgação)
Sombrias coloridas decoram as ruas de Ouro Preto, que celebra também os 40 anos da conquista de título de patrimônio da humanidade (foto: Ane Souz/Prefeitura de Ouro Preto/divulgação)

A turística Ouro Preto, na Região Central de Minas, está enfeitada para o carnaval, sem medo da chuva. É que sombrinhas coloridas também fazem parte da decoração da folia, que, desta vez, celebra os 40 anos da conquista do título de Patrimônio da Humanidade. Enquanto isso, os tapumes de proteção dos monumentos do Centro Histórico, montados pela prefeitura local, como pontes, igrejas, capelas, museus e outros, estão prontos e as pinturas deles ficaram a cargo da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop).

Com uma das festas mais animadas do interior do estado, e expectativa de receber cerca de 50 mil visitantes, a cidade lembra, em 2020, os 300 anos de Minas e o tricentenário da Sedição de Vila Rica. Quem curtir a festa vai ter segurança: os tapumes estão localizados na Ponte dos Contos, Chafariz dos Contos, Rua Getúlio Vargas, sentido Rosário, Praça Tiradentes e Rua Barão de Camargos, sentido Mariana.

“Além de homenagear nossa história, pois o carnaval daqui é centenário, os tapumes trazem proteção para a vida humana”, diz o secretário municipal de Cultura e Patrimônio, Zaqueu Astoni Moreira. “Os turistas adoram fazer selfies tendo os tapumes ao fundo”, acrescenta, explicando que o patrocínio da folia, no valor de R$ 2,5 milhões, vem de uma fábrica de cerveja.

FARRA CENTENÁRIA 

Pioneira no país a se tornar patrimônio da humanidade (1980), Ouro Preto recebeu o título não apenas pelo Centro Histórico, mas pela “cidade histórica”, informa Zaqueu. “A programação será uma boa oportunidade para enaltecer as raízes culturais, pois resgata, dos tempos da exploração de ouro, uma intriga contada de geração a geração.” Assim, a homenagem remete aos jacubas e mocotós, como eram chamados os habitantes, conforme a região onde moravam.

Desde o século 18, há rivalidade entre moradores dos bairros Antônio Dias e Pilar, decorrente da disputa entre irmandades das duas paróquias na construção das igrejas e capelas mais suntuosas. A contenda ficou estabelecida, então, com os dois lados bem demarcados: de um deles, a Paróquia de Nossa Senhora do Pilar, posterior reduto dos mocotós; de outro, a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, futuro reduto dos jacubas.

Com muitos blocos que brincam pelas ladeiras, Ouro Preto tem o desfile de nove escolas de samba, com homenagem, neste ano, a nomes ilustres da cidade. Os desfiles serão nos dias 23 e 24 (domingo e segunda-feira).



Publicidade