Publicidade

Estado de Minas

'Desamparo', diz proprietário de carro 'engolido' por cratera há três dias em BH

Segundo o autônomo Nacipe Gomes Calixto, de 35 anos, o veículo foi parar dentro de um buraco durante a chuva na última sexta-feira. No local acontecia obra da Prefeitura de Belo Horizonte


postado em 18/11/2019 14:08 / atualizado em 18/11/2019 17:39

Carro está dentro da cratera desde a última sexta-feira(foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Carro está dentro da cratera desde a última sexta-feira (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)

Há três dias, o autônomo Nacipe Gomes Calixto, 35 anos, não sabe como vai fazer para voltar a andar no carro dele. O veículo foi arrastado para dentro de uma cratera na última sexta-feira durante o temporal que atingiu Belo Horizonte. Segundo o homem, um buraco tinha sido aberto pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para uma obra. Nesta segunda-feira, o automóvel continua preso. 

Os serviços na Rua Rui Barbosa, no Bairro Santa Mônica, começaram há aproximadamente um mês. Durante a obra os moradores já tinham reclamado com os operários. “O buraco foi aberto no final do mês passado. Eles queriam abrir a rua toda, mas entramos em atrito com eles, pois o fluxo de água aqui é grande. Abriram apenas metade, mas a rede estourou. Fizeram uma ligação com um rio que passa aqui embaixo, mas a água acabou voltando”, contou Nacipe.

Na última sexta-feira, o morador chegou de carro em casa e estacionou na rua. Foi então que começaram os transtornos. “Começou a chover e, pouco tempo depois, recebi uma ligação do meu vizinho dizendo que meu carro estava sendo levado. A água arrastou meu carro e o buraco cedeu. A frente do meu carro acabou dentro da cratera”, comentou.

Veículo foi arrastado pela chuva e caiu no buraco que também cedeu com a força da água(foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Veículo foi arrastado pela chuva e caiu no buraco que também cedeu com a força da água (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)


Falta de informações


O autônomo conta que desde sexta-feira passou a ligar para a prefeitura e pedir uma medida sobre o caso. Mas, segundo ele, nada foi feito. “A Defesa Civil chegou a vim aqui no sábado e hoje interditou a área de entrada da casa do meu irmão, que mora em uma casa ao lado da minha. O buraco está a 30 centímetros o imóvel. Falaram que iriam notificar a Sudecap, mas nada”, comentou.

“Nesta segunda-feira, funcionários da Sudecap chegaram aqui em três máquinas, caminhões e carros. Mas, fiz um protesto e fechei a rua. Antes deles começarem a mexer aqui, quero conversar com um responsável. A responsabilidade de tirar meu carro é deles”, completou.

O morador afirma que as pessoas que vivem na região estão em risco. “A sensação é de insegurança e desamparo total dos órgãos públicos. Da mesma forma que foi um carro, poderia ser uma vida. O risco aqui é iminente tanto que a Defesa Civil interditou a casa do meu irmão”, cobrou.

Posicionamento da PBH


Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (Smobi) rebateu as informações do morador e informou que o veículo foi arrastado pela forte enxurrada para dentro do buraco, e não  “engolido” pela cratera. Sobre a vala, ressaltou que faz parte do serviço de drenagem para resolver problemas de inundação da via.

“A vala inclusive já se encontrava aterrada, e a enchente levou o material utilizado para o aterro. A via estava com trânsito interditado e com material colocado formando uma "leira", barreira de terra, para desviar a chuva prevista. No local havia placas sinalizadoras e a forte enxurrada arrastou o veículo que estava estacionado após as placas de sinalização de trânsito interrompido, levando também o material colocado para proteção da vala”, afirmou a Smobi.

A Secretaria afirmou, ainda, que a responsabilidade pela retirada do veículo é do proprietário, mas que a prefeitura vai retirar o veículo, após abertura de boletim de ocorrência.


Publicidade