Publicidade

Estado de Minas

População de Montes Claros sofre com inundações e racionamento de água ao mesmo tempo

Após sete meses de estiagem, município do Norte de Minas foi surpreendido com temporal, que causou enchentes e fez rios transbordarem


postado em 18/11/2019 10:54

Chuva causou inundação em Montes Claros, que está em racionamento(foto: Corpo de Bombeiros/divulgação)
Chuva causou inundação em Montes Claros, que está em racionamento (foto: Corpo de Bombeiros/divulgação)

Racionamento
de água e, ao mesmo tempo, problemas decorrentes da chuva. Esta foi a situação curiosa enfrentada por moradores de Montes Claros, no Norte de Minas. Um temporal, ocorrido na noite desse domingo (17) e na madrugada desta segunda-feira (18), provocou alagamentos em diversos pontos da cidade, gerando inúmeras chamadas para o Corpo de Bombeiros. Não houve registro de vítimas. 

Havia sete meses que não eram registradas chuvas intensas na região. Nesse domingo, a  população de Montes Claros – 404,8 mil habitantes, começou a receber água em dias alternados. O principal motivo do “rodízio” adotado pela Copasa é que a redução do nível da Barragem do Rio Juramento, responsável por 60% da água distribuída na cidade, que está com 13,3% da capacidade. Além  disso,  o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) decretou situação de escassez hídrica do Rio Pacuí, no município de Coração de Jesus, onde também é feita a captação de água para abastecer Montes Claros. De acordo com o Igam, o Pacuí teve uma redução de 70% da vazão normal nos últimos meses.

Chuva causou inundação em Montes Claros, que está em racionamento(foto: Corpo de Bombeiros/divulgação)
Chuva causou inundação em Montes Claros, que está em racionamento (foto: Corpo de Bombeiros/divulgação)
A chuva forte foi iniciada por volta das 18 horas de domingo. O temporal provocou inundação na Avenida Vicente Guimarães, entre os bairros Augusta Mota e Sagrada Família. A via está em obras, que visam exatamente o fim das enchentes com o alargamento do canal do córrego Vargem Grande. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um dos locais mais atingidos foi as proximidades do Córrego Bicano, entre o Conjunto Chiquinho Guimarães e o Bairro Ciro dos Anjos. Lá, os militares tiveram que usar bombas de sucção para a retirada da água de dentro de algumas casas. Houve houve alagamentos em outros locais da cidade, como  Rua G (Bairro Cristo Rei), Rua Cruzeiro (Bairro Alterosa), Rua São Geraldo (Bairro São Judas Tadeu) e na Rua M (Bairro Vila Campos).

Os bombeiros informaram que  que todos chamados foram motivados pela falta de escoamento da água da chuva. Mas, “não houve vítimas nem famílias desalojadas ou desabrigadas”.    

Queda de muro

Ainda por causa dos temporais, um muro ao lado do estádio João Rebello (campo do Ateneu), no Bairro São José caiu. NInguém se feriu. Houve o registro de quedas de árvores em diferenes locais da cidade.


Publicidade