Publicidade

Estado de Minas

Trânsito é lento na chegada a Belo Horizonte após o feriadão

Início de semana chuvoso e retorno de viajantes já engarrafam metade do Anel Rodoviário no sentido Rio de Janeiro


postado em 18/11/2019 07:19 / atualizado em 18/11/2019 11:37

(foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press)
(foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press)

O trânsito após o feriadão ainda apresenta reflexos do retorno de viajantes e do início de semana chuvoso. No sentido Rio, o Anel rodoviário chegou a ter praticamente metade de seus 26 quilômetros engarrafados até as 10h. Segundo a concessionária Via 040, o Anel Rodoviário de BH registra lentidão devido ao excesso de veículos desde as 7h, a partir do KM 535, por 2 quilômetros no sentido Brasília. O ponto de referência é o acesso à Avenida Amazonas. As polícias rodoviárias ainda não apresentaram seus balanços de acidente referentes ao feriado da Proclamação da República (15), mas o Estado de Minas já contabilizou 22 mortes.

O tráfego no Anel Rodoviário no sentido oposto é ainda maior, com concentração de veículos e lentidão desde o trevo com a Avenida Cristiano Machado, no Bairro Primeiro de Maio, na Região Norte de BH, até a altura do Bairro Dom Bosco, na Região Noroeste de BH. São 26 quilômetros de engarrafamentos no sentido Rio de Janeiro. A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) acompanha o movimento em pontos estratégicos. Pelo menos dois caminhões enguiçados se encontram no trecho.

Na BR-381 o fluxo também está lento na altura de Bom Jesus do Amparo, na Região Central de Minas, depois que um ônibus enguiçou no KM 405, próximo ao Posto Gauchão. O local apresenta cerração desde cedo e a Polícia Rodoviária Federal recomenda cautela. O trânsito está sendo desviado para a via lateral.

O terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip) também apresenta grande movimento mesclando fluxo normal de início de semana e chegada de viajantes do feriado. Pelo menos 28 quarteirões dos arredores do terminal, no hiper centro de BH, apresentam lentidão, com destaque para a Avenida Olegário Maciel, Rua do Acre, Avenida Santos Dumont e Rua Paulo de Frontin, que servem à estrutura rodoviária. 

O movimento desta segunda-feira está mais intenso na percepção do motorista de aplicativo Ramiro Bonfim, de 63 anos. "Segunda de chuva já faz todo mundo tirar o carro da garagem em BH. Juntando com quem chega ainda de viagem hoje, só podia piorar o trânsito mesmo. E o primeiro lugar que tem engarrafamento é o Centro e a Rodoviária", disse.




Publicidade