Publicidade

Estado de Minas

Funeral de dom Serafim vai durar três dias e terá cortejo hoje em BH

Cardeal e arcebispo emérito da capital morreu na madrugada desta terça, aos 95 anos. Às 19h, haverá um cortejo em um caminhão do Corpo de Bombeiros até a Igreja da Boa Viagem, no Centro


postado em 08/10/2019 12:54 / atualizado em 08/10/2019 13:02

O cardeal dom Serafim foi arcebispo metropolitano de Belo Horizonte por 18 anos(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 22/02/2013)
O cardeal dom Serafim foi arcebispo metropolitano de Belo Horizonte por 18 anos (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 22/02/2013)


A Arquidiocese de Belo Horizonte divulgou, no início da tarde desta terça-feira, como será o funeral do cardeal e arcebispo emérito da capital, dom Serafim Fernandes de Araújo. Ele morreu durante a madrugada, aos 95 anos. O velório público começa nesta noite e haverá um cortejo por ruas do Centro da capital. 

Segundo a Arquidiocese, o cortejo começa às 19h, em um caminhão do Corpo de Bombeiros, pelo seguinte itinerário: Avenida Bernardo Monteiro, Avenida dos Andradas, Avenida do Contorno, Rua Maranhão, Avenida Brasil, Rua Gonçalves Dias, Praça da Liberdade, Avenida João Pinheiro, Rua dos Timbiras.

O velório começa às 20h no Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua Nossa Senhora da Boa Viagem, na Rua Sergipe, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. 

“Na quarta-feira, dia 9, missas serão celebradas às 7h, 10h, 15h, 18h e 20h. Na quinta, dia 10, as missas serão às 10h, 12h, 15h, 17h”, informou a Arquidiocese. 

O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, participava do Sínodo dos Bispos para a Amazônia, em Roma. Ele volta para se despedir de dom Serafim e presidir a missa do sepultamento às 17h de quinta-feira. 

“O Papa Francisco, nesta terça-feira, dia 8, dedicou oração a dom Serafim, durante o Sínodo dos Bispos para a Amazônia”, disse a Arquidiocese de BH. 

Dom Serafim foi arcebispo metropolitano de Belo Horizonte entre 1986 e 2004, quando foi sucedido por dom Walmor. Conhecido pela expressão "Na palma da mão de Deus", foi precedido por João Resende Costa. 

História

Ver galeria . 15 Fotos Padre Serafim celebrando sua primeira missa, na Basília de São João de Latrão, em Roma (1949)Arquivo pessoal
Padre Serafim celebrando sua primeira missa, na Basília de São João de Latrão, em Roma (1949) (foto: Arquivo pessoal )

Nascido em 13 de agosto de 1924, dom Serafim Fernandes Araújo é de Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha. O mineiro passou a infância em Itamarandiba até que, aos 12 anos, mudou-se para Diamantina, para estudar no seminário da cidade, onde se formou em Humanidades (1942) e Filosofia (1944). 

Após a conclusão do Ensino Superior, o clérigo foi convidado a estudar em Roma, onde fez mestrado em Teologia e Direito Canônico na Pontifícia Universidade Gregoniana. Ordenou-se padre em 12 de março de 1949, na Catedral de São João Latrão, situada na capital italiana. O retorno ao Brasil se deu em 1951, para assumir a paróquia de Gouveia, na Região Central de Minas, onde atuou por seis anos. No mesmo período, foi capelão a Companhia Industrial de São Roberto e do 3º Batalhão Militar da Polícia Militar de Minas Gerais. Exerceu também os cargos de diretor de Ensino Religioso da Arquidiocese de Diamantina e professor de Direito Canônico no Seminário Provincial.

Em 1959, aos 34 anos, foi sagrado bispo - o mais novo a assumir o posto no Brasil. A partir de então, transferiu-se para Belo Horizonte, para ser auxiliar de dom João Resende Costa. Paralelamente à função, assumiu o cargo de vigário geral, além de professor de Cultura Religiosa da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Em 1960, tornou-se reitor da universidade. Entre 1978 e 1981, foi membro do Conselho Federal de Educação.

A trajetória de dom Serafim na Arquidiocese da capital mineira teve início em 31 de março de 1983, quando o clérigo tomou posse como arcebispo coadjuntor. Em 1986, tornou-se arcebispo metropolitano. Em 18 de janeiro de 1998, foi nomeado cardeal - alto cargo dentro da hierarquia da Igreja Católica, cujas atribuições incluem assistência ao papa em suas diversas decisões e competências.


Publicidade