Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

O que explica este calorão recorde e o que esperar dos próximos dias

Inveje estas crianças na piscina


postado em 14/09/2019 04:00 / atualizado em 14/09/2019 07:25

Crianças disputam a piscininha na Escola Galileo Galilei: alívio para o calor recorde(foto: Gladyston Rodrigues/Em/D.a press )
Crianças disputam a piscininha na Escola Galileo Galilei: alívio para o calor recorde (foto: Gladyston Rodrigues/Em/D.a press )


A previsão dos meteorologistas se concretizou, e o calor voltou a bater recorde em Belo Horizonte. Por volta das 13h, os termômetros atingiram 36,4°C na Estação da Pampulha, segundo a Defesa Civil, superando os 35°C de fevereiro. Foi o segundo dia consecutivo em que a cidade bateu o recorde de temperatura de todo o ano. A umidade relativa do ar chegou a 14%, também considerada a mais baixa de 2019. Para se ter uma ideia, nos desertos a umidade gira em torno de 10%. Um alívio é esperado para hoje e amanhã, mas as marcas devem ficar em torno dos 30°C.

E no calor escaldante, que pôde pediu refresco. Na Escola Infantil Galileo Galilei, no Bairro Funcionários, Região Centro- Sul de BH, a alternativa foi chuveirão, piscininha repleta de brinquedos e banho de mangueira. A turma do 2° período se deliciou na água fria com a professora Débora dos Santos Alves. O garoto Pedro Ramos Brandão, de 5 anos, não deixou dúvidas: "Se não fosse isso, teria morrido de calor”.

Os pequeninos do maternal 2 também não ficaram para trás. Na sombra da jabuticabeira, a atividade pedagógica com água virou sinônimo de alívio. Os alunos brincavam com peixinhos na banheira, enquanto a professora Thaís Alves de Almeida usava o borrifador para jogar água nos pequenos.

Os termômetros ainda exibirão marcas altas nos próximos dias, mas com tendência de queda. “Vamos ter diminuição do calor e melhora na umidade relativa do ar. A previsão é de 30°C. Continua quente, mas já ajuda um pouco. A umidade relativa do ar deve ficar em 35%”, explicou o meteorologista Claudemir Azevedo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O pequeno refresco será provocado por uma frente fria que avança pelo Sudeste do país.

Secura persiste A cidade voltou a ter o menor índice de umidade relativa do ar do ano. Os índices atingiram 14%, o que pode trazer danos à saúde. Na quinta-feira, a marca foi de 15%. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera índices entre 21% e 30% como estado de atenção; entre 12% e 20%, de alerta, e abaixo de 12%, estado de emergência. A umidade relativa do ar ideal é 60%.

Alguns cuidados devem ser tomados para evitar danos à saúde com o tempo seco. O período recomendado para a prática de atividades físicas é antes das 10h e após as 17h. Outras orientações são usar roupas leves, fazer refeições frugais, incluindo frutas e verduras, além de usar sombrinha ou guarda-chuva para andar nas ruas no período mais quente. A hidratação deve ser reforçada.


Publicidade