Publicidade

Estado de Minas RELIGIÃO

Igreja convoca fiéis a traçar diretrizes


postado em 15/08/2019 21:11


Os princípios não mudam, mas o diálogo é constante. O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, convocou os fiéis para renovarem as diretrizes dos trabalhos desenvolvidos pela Arquidiocese de Belo Horizonte. Na mesma data em que se comemorou a festa da padroeira da capital, Nossa Senhora da Boa Viagem e a Assunção da Virgem Maria – dogma proclamado solenemente pelo Papa Pio XII (1876-1958), em 1º de novembro de 1950 –, que lotou as ruas de Belo Horizonte, ocorreu o início a abertura da 6ª Assembleia do Povo de Deus. As assembleias são realizadas a cada quatro anos e objetivam renovar os trabalhos da Igreja.

Dom Walmor não adiantou as principais metas que serão colocadas em pautas, mas conta sobre os desafios da Igreja: “A Igreja tem ciência da complexidade da cultura urbana. O mundo mudou muito com grande velocidade e complexidade. Há muita relativização de valores e, ao mesmo tempo, a perda dos sentidos. Esse é o maior desafio. A igreja não pode ser para dentro, tem seu alicerce mas precisa dialogar porque ela está serviço da sociedade e das pessoas. Por isso, o grande desafio é entender e ajudar a cultura urbana a ser permeada pelos valores do evangelho”, disse.

“No Dia de Assunção, celebramos a nossa grande esperança para reacender a fé no coração de cada um. E, por isso, nossa arquidiocese abre caminho a 6ª Assembleia do Povo de Deus para dialogar com o povo, com a sociedade e com os valores do evangelho”, disse Dom Walmor Oliveira, na tarde de ontem. A solenidade de ontem ocorreu no canteiro de obras da Catedral Cristo Rei, na Avenida Cristiano Machado, no Bairro Juliana, Região Norte de Belo Horizonte. De agosto a dezembro, grupos se reúnem nas paróquias para apresentar propostas. Ao final, o conjunto de indicações é apresentado, com a publicação do Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra. E, para a cozinheira Mônica de Oliveira, de 51 anos, a igreja precisa continuar buscando a paz. “É necessário mais amor à humanidade, amor ao próximo, perdão, fé e gratidão, que estão em falta no mundo inteiro”, disse, durante a cerimônia na catedral.

Logo após a abertura da assembleia, foi realizada uma carreata até a Praça da Rodoviária, no Centro de Belo Horizonte, de onde fiéis partiram em procissão luminosa até a Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem. Às 18h, dom Walmor celebrou uma missa.

SILÊNCIO Pela manhã, em um gesto de fé, milhares de jovens participaram da 24ª Peregrinação da Juventude ao Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas. A programação teve início cedo, quando, rezando o terço, a multidão subiu a Serra da Piedade, rumo à Casa da Mãe Piedade, cantando músicas e fazendo suas orações. Nathalia Marques Vieira, coordenadora do grupo Perseverança, da Paróquia São Tiago Maior, Bairro São José, em Belo Horizonte, coordenou a participação de mais de 90 adolescentes, com idades entre 9 e 14 anos na Peregrinação. A devoção e alegria próprias da juventude marcaram a caminhada até o topo do santuário. Foi a primeira peregrinação do grupo, criado em 2018, ao Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade. Para Nathalia, a peregrinação da juventude é “uma bela experiência religiosa e um momento único de vivência da fé”.

De acordo com a texto da arquidiocese, o A Sagrada Tradição da Igreja ensina que Nossa Senhora foi elevada ao céu de corpo e alma, após sua morte. Quando o sumo pontífice decretou o dogma por meio da Constituição Apostólica Munificientissimus Deus foi uma verdadeira apoteose no mundo inteiro.


Publicidade