Publicidade

Estado de Minas

Vale amplia automatização de piezômetros em barragens em nível 3 de emergência

Procedimento promete garantir maior freqüência de informações dos instrumentos com seus dados obtidos a distância


postado em 03/07/2019 16:16

Acesso de profissionais a essas áreas é restrito e, por isso, os trabalhos são realizados com auxílio de helicóptero e técnicas de alpinismo(foto: Vale/ divulgação )
Acesso de profissionais a essas áreas é restrito e, por isso, os trabalhos são realizados com auxílio de helicóptero e técnicas de alpinismo (foto: Vale/ divulgação )
A Vale deu início ao trabalho de automatização de piezômetros formatados para leitura manual em suas barragens em nível 3 de emergência.O procedimento promete garantir maior freqüência de informações dos instrumentos com seus dados obtidos a distância – o que reduz a exposição de funcionários na barragem frente ao atual nível de alerta e considera as limitações de acesso existentes.

De acordo com a nota divulgada pela minerada, na barragem Sul Superior, na mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, na Região Central de Minas, a ação quadriplica a automatização, passando de 5 para 20 piezômetros automatizados. No total, há 43 unidades na estrutura. Está prevista também a implementação de uma estação robótica. A expectativa é de que as ações sejam concluídas em dez dias.

Na segunda quinzena de julho, será iniciada a automatização de todos os 18 piezômetros da barragem B3/B4, na mina Mar Azul, em Macacos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A atividade está sendo planejada também para 50 dos 108 piezômetros da barragem Forquilhas III, na mina de Fábrica, em Ouro Preto.

Descida de rapel na barragem Sul Superior

O acesso de profissionais a essas áreas é restrito e, por isso, os trabalhos são realizados com auxílio de helicóptero e técnicas de alpinismo. A atividade é feita por equipes especializadas e treinadas para esse tipo de ação.

Em caso de emergência, os profissionais são içados imediatamente até a aeronave.

Monitoramento

Durante o trabalho, a restrição do espaço aéreo é necessária por questões de segurança, para manobras e rotas de fuga da aeronave para evacuação em caso de emergência. A Vale mantém os órgãos competentes informados sobre as ações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade