Publicidade

Estado de Minas

Movimentação do talude norte da mina em Barão de Cocais cai para 39,4 cm/dia

O paredão tem cerca de 96 mil metros quadrados. O temor é de que uma queda brusca do talude abale a estrutura da Barragem Sul Superior


postado em 04/06/2019 11:11 / atualizado em 04/06/2019 13:02

Obra dos chamados bolsões de contenção para barrar a lama em caso de rompimento da barragem em Barão de Cocais(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Obra dos chamados bolsões de contenção para barrar a lama em caso de rompimento da barragem em Barão de Cocais (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)


A movimentação do talude norte da mina de Gongo Soco da Vale, em Barão de Cocais, na região central de Minas Gerais, caiu para 39,4 centímetros por dia às 10 horas desta terça-feira, 4, segundo novo boletim da Agência Nacional de Mineração (ANM).

Na segunda-feira (3) a velocidade era de 41,5 centímetros por dia. Na sexta-feira passada, dia 31 de maio, a Vale havia informado que identificou movimentação de fragmento do talude norte da cava da mina, mas que o desprendimento deve ocorrer sem maiores consequências.

O paredão tem cerca de 96 mil metros quadrados. O temor é de que uma queda brusca do talude abale a estrutura da Barragem Sul Superior. Militares da Defesa Civil, da polícia e do Corpo de Bombeiros mantêm plantão no município para agir em eventual desastre.

A atenção das autoridades se concentra, principalmente, na chamada zona secundária de segurança (ZSS), onde vivem 6 mil pessoas. A lama demoraria uma hora e 12 minutos para chegar aos bairros dessa área. Esses moradores participaram de dois simulados de emergência da Defesa Civil estadual. Porém, mesmo somando as duas ações, ao menos 800 pessoas da ZSS nunca participaram de treinamento. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade