Publicidade

Estado de Minas

Bancos voltam a funcionar em Barão de Cocais nesta segunda-feira

Os locais tinham sido fechados na última semana devido ao risco de queda do talude da Mina Gongo Socco, da Vale, que pode provocar o rompimento da barragem Sul Superior


postado em 27/05/2019 15:09 / atualizado em 27/05/2019 15:17

Agência móvel do Banco Bradesco atende a população nesta segunda-feira(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Agência móvel do Banco Bradesco atende a população nesta segunda-feira (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Agências bancárias de Barão de Cocais, na Região Central de Minas Gerais, voltaram a abrir as portas nesta segunda-feira. Os locais tinham sido fechados na última semana devido ao risco de queda do talude da Mina Gongo Socco, da Vale, que pode provocar o rompimento da barragem Sul Superior. Deslocamento da estrutura já chega a 21 centímetros. A suspensão do atendimento foi criticada pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

O banco Bradesco montou uma unidade móvel na cidade para atender a população. Já os bancos do Brasil e Itaú também voltaram o atendimento, mas com horário diferenciado. Os Correios também retornaram os trabalhos.

A suspensão dos serviços aconteceu na última semana por causa do risco de rompimento da barragem Sul Superior. O coordenador-adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho, criticou a medida e afirmou, na última sexta-feira, que solicitaria o retorno das atividades.

“ “Já os notificamos, demonstrando que [caso o talude ceda e a barragem se rompa] os locais onde as agências funcionam, em Barão de Cocais, [demorarão] cerca de 1h30 para serem atingidos por rejeitos”, afirmou na sexta-feira.

Movimentação


Um dia após a previsão de desabamento, o talude da cava da Mina Gongo Soco continua se movendo e o ritmo aumentou. Nesta segunda-feira, conforme a Agência Nacional de Mineração (ANM), o deslocamento em alguns pontos isolados subiu dos 20 centímetros/dia registrado ontem para 21 cm/dia, mais que o dobro do ritmo anual da estrutura. Já a deformação na porção inferior do talude norte, que no início da noite de domingo era de 15,8 centímetros/dia, hoje chega a 17,8 centímetros.

Os 22 militares do Corpo de Bombeiros que chegaram em Barão de Cocais trabalham com oito viaturas. Entre as atividades realizadas por eles estão a orientação nas escolas sobre o que fazer em caso de rompimento na mina e acompanhamento das obras de contingenciamento ao longo do curso dos rejeitos para reduzir o impacto sobre a cidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade