Publicidade

Estado de Minas

UniBH promove abertura de circuito acadêmico com show da banda Pato Fu

Alunos vão exibir projetos inovadores para resolver problemas da população, entre eles iniciativas voltadas à mineração. Também nesta segunda-feira (20), centro universitário sediou congresso acadêmico com universidades de diferentes países


postado em 20/05/2019 22:07

Com 26 anos de estrada, Pato Fu levou sucessos e músicas do seu último álbum 'Música de Brinquedo 2 (2017)' aos alunos do UniBH(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
Com 26 anos de estrada, Pato Fu levou sucessos e músicas do seu último álbum 'Música de Brinquedo 2 (2017)' aos alunos do UniBH (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

 
O Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) deu início, nesta segunda-feira (20), ao seu circuito acadêmico no campus Buritis (Avenida Professor Mário Werneck, 1.685). O evento vai até 25 de maio e pretende apresentar projetos inovadores desenvolvidos pelos alunos, muitos deles voltados à resolução dos problemas da vida cotidiana. 

Entre eles está o aplicativo Minascentes, que dissemina informações, mapeamentos e alertas sobre os riscos de contaminação das nascentes e de rompimentos de barragens em Congonhas (Região Central). A cidade abriga a Barragem Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), alvo de ações do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). 

“A gente tem dois lados nessa questão (mineração): primeiro, o lado da tragédia, essa situação triste. Do outro lado, nós temos uma atividade que dá nome ao nosso estado, decisiva para a economia”, opinou o reitor do UniBH, Rafael Luiz Ciccarini. 
A abertura do circuito acadêmico contou com participação da banda mineira Pato Fu. A programação levou uma multidão de estudantes ao estacionamento do UniBH. 
 
O V Congresso Internacional da Rede Acinnet (Academic International Network) estimulou debates entre gestores acadêmicos, professores e estudantes de 17 universidades espalhadas por oito países(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
O V Congresso Internacional da Rede Acinnet (Academic International Network) estimulou debates entre gestores acadêmicos, professores e estudantes de 17 universidades espalhadas por oito países (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

 
“No momento que o Brasil está, a gente precisa da academia, do mercado, do Estado, de cultura e de arte. E essas coisas não conversam separadas. O projeto do UniBH entende que essas coisas são pensadas juntas”, ressaltou Rafael Ciccarini. 

De acordo com a vocalista do Pato Fu, a cantora, compositora e cronista Fernanda Takai, tocar em um ambiente de aprendizado faz parte da história do grupo. “Aqui em Belo Horizonte, a gente já tocou em praticamente todas as universidades. É um público que deu muito apoio pra gente no início. Tem a ver muito com a própria carreira da banda. A universidade tem sempre essa coisa ligada à cena indie, tem sempre um pé no independente”, explicou.

Também nesta segunda, o campus da Região Oeste da cidade promoveu o V Congresso Internacional da Rede Academic International Network (Acinnet). A programação estimulou debates entre gestores acadêmicos, professores e estudantes de 17 universidades espalhadas por oito países.

O circuito acadêmicos ainda conta com um show do artista Maurício Tizumba, acompanhado do cortejo e performance da bateria feminina do grupo Tambor Mineiro. Haverá também palestras e rodas de conversa com lideranças políticas e culturais ligadas a Belo Horizonte. 


Publicidade