Publicidade

Estado de Minas

Fiéis participam da procissão do Encontro em Montes Claros

O Encontro aconteceu na Praça Flamaryon Wanderley, no Bairro São José, debaixo do sol forte


postado em 19/04/2019 11:49 / atualizado em 19/04/2019 12:46

(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)
(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)

Em nome da fé, centenas de pessoas encararam o sol forte na manhã desta Sexta-Feira, em Montes Claros, no Norte de Minas, para participarem da procissão do Encontro, principal acontecimento da semana santa cidade.

Mantendo a tradição, os homens saíram da Catedral de Nossa Senhora Aparecida acompanhando a imagem de Nosso Senhor dos Passos. Muitos deles conduziram pequenas cruzes com a palavra paz. As mulheres saíram da Matriz de Nossa Senhora e São José, com a imagem de Nossa Senhora das Dores.

O Encontro aconteceu na Praça Flamaryon Wanderley, no Bairro São José, debaixo do sol forte. Pela primeira vez, a cerimônia foi presidida pelo arcebispo metropolitano dom João Justino de Medeiros Silva, que foi nomeado pelo Papa Francisco para a função em outubro do ano passado, em substituição a dom José Alberto Moura, que completou 75 anos e tornou-se arcebispo emérito.

Dom João Justino fez uma pregação mais amena,  sem dar muita ênfase aos problemas sociais,  diferente do que ocorreu em homilias da procissão do Encontro na cidade em anos anteriores. O arcebispo deixou de mencionar, por exemplo, o tema da Campanha da Fraternidade deste ano: “Fraternidade e Políticas Públicas”.

(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)
(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)

Ele focou suas palavras via crucis de  Jesus Cristo no encontro com Maria a caminho do Monte Calvário para ser crucificado. “O encontro da paixão foi o encontro com o sofrimento, o mais ousado da história, pois era o filho de Deus  que estava sendo levado para ser sacrificado”, disse o arcebispo.

Além do sofrimento, ele  ressaltou o exemplo de Nossa Senhora.  “Esta (Maria) é a mulher que aceitou a mais nobre missão confiada por Deus a uma mulher: ser mãe do filho de Deus”.

O arcebispo de Montes Claros fez ainda um paralelo entre o “encontro” de Jesus Cristo com sua mãe  antes de ser sacrificado e os dias de hoje e do que o acontecimento representou para os cristãos. “Por causa do encontro com Jesus somos defensores da vida em todo o seu arco, desde a concepção até a morte”, disse dom Justino, numa crítica indireta ao aborto.

Também condenou a violência e a corrupção. “Por causa do nosso Encontro com Jesus Cristo, queremos viver e construir uma sociedade sem violência, sem corrupção sem mentiras”, enfatizou dom Justino.


Publicidade