Publicidade

Estado de Minas

Cidade da Grande BH já tem seis mortes em decorrência da dengue em 2019

Em Betim, seis óbitos foram confirmados. Outros seis casos de pessoas que morreram depois de sentir os sintomas da doença estão sendo investigados


postado em 05/04/2019 15:31 / atualizado em 05/04/2019 15:44

Cuidados devem ser intensificados para evitar a proliferação do aedes Aegypti(foto: NIAID/Divulgacao )
Cuidados devem ser intensificados para evitar a proliferação do aedes Aegypti (foto: NIAID/Divulgacao )

A dengue segue fazendo vítimas em Minas Gerais. Somente em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, seis mortes foram confirmadas em decorrência da doença. A situação pode ser ainda pior, pois há outros seis óbitos sendo investigados. Devido a situação, a prefeitura intensificou o combate ao mosquito aedes Aegypti, que também transmite a zika e a chikungunya. Devido ao número de pessoas infectadas, um posto de hidratação foi montado na cidade.

Os dados divulgados nesta sexta-feira pela prefeitura de Betim, divergem do balanço da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG). Levantamento divulgado na segunda-feira, mostra que Minas Gerais tinha sete mortes em decorrência da doença. Sendo uma em Betim. As informações devem ser atualizadas no próximo boletim epidemiológico, que será divulgado em 8 de abril.

Somente nestes quatro primeiros meses deste ano, Betim já notificou 17.172 casos de dengue. Destes, segundo a administração municipal, 5.464 foram confirmados. Não há casos confirmados de zika ou chikungunya.

Para atender as pessoas com suspeita da doença, uma unidade de hidratação venosa foi montada. Ela funciona 24 horas por dia no prédio onde estava prevista a instalação da Clínica Asmude, na Rua Mato Grosso, 926, no Bairro Espírito Santo. Desde 14 de fevereiro, quando os trabalhos foram iniciados no local, aproximadamente 5 mil pacientes foram atendidos.

Devido ao risco de avanço da doença, a prefeitura intensificou a fiscalização em lotes vagos para retirar materiais que podem servir de criadouro do mosquito aedes Aegypti. Também estão sendo capacitados profissionais e estudantes acadêmicos para o manejo clínico das arboviroses.

Dengue em Minas


A dengue avança por Minas Gerais em ritmo acelerado. O número de casos prováveis da doença já ultrapassou 81,4 mil em 2019. O número já é 47,2% superior a soma dos registros dos dois últimos anos. As mortes também aumentaram. O estado passa por um ano com tendências epidêmicas. Os casos prováveis vêm aumentando significativamente nesses primeiros três meses. Em janeiro, foram 17.555. No mês seguinte, os registros aumentaram. No 28 dias de fevereiro, foram 32.233 notificações da doença. Neste mês, a Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) já registrou 31.668 casos prováveis.

A situação requer atenção da população e das autoridades de saúde. A série histórica da doença mostra que março e abril são os períodos em que há uma explosão de casos prováveis da dengue. Nas últimas quatro semanas, segundo a SES/MG, 59 municípios estão com incidência muito alta de casos prováveis de dengue, 52 apresentam incidência alta e 93 municípios com média incidência. Outros 305 municípios estão com baixa incidência e 344 municípios não registraram casos prováveis.


Publicidade