Publicidade

Estado de Minas

Relocação da biblioteca pública gera revolta em Pedro Leopoldo

Prefeitura pretende prédio atual em ponto turístico. Serviço é operado no local desde 1985


postado em 29/03/2019 19:50 / atualizado em 29/03/2019 19:58

Biblioteca opera no local desde 1985(foto: Reprodução/ Redes Sociais)
Biblioteca opera no local desde 1985 (foto: Reprodução/ Redes Sociais)

A decisão da prefeitura de Pedro Leopoldo, na Grande BH, de relocar a Biblioteca Pública está causando revolta em parte da população da cidade. A administração municipal anunciou que pretende fazer do prédio da antiga ferroviária, localizada na Praça da Estação - onde está a biblioteca desde 1985 - um espaço voltado para o turismo. A previsão é que o ponto turístico fique pronto até 6 de abril.

Como forma de impedir a retirada do serviço do local, moradores criaram uma petição pública na internet. Atè as 19h10 desta sexta-feira, quase 2.340 pessoas já haviam assinado o documento; a intenção dos organizadores é atingir a marca de 2.500 apoiadores. De acordo com a projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a cidade tem 63.789 moradores.

Conforme argumentado na petição, os organizadores consideram a decisão “partidária, silenciosa e traidora. “Trata-se de uma ‘prática dolosa’ contra a população e, principalmente, na área educacional e cultural da cidade”. Ao todo, a biblioteca possui cerca de 7 mil livros.

Além disso, críticos à mudança organizaram, nas últimas semanas, um ato pela reabertura da biblioteca. Atualmente, o serviço está paralisado devido às obras. Uma audiência pública na Câmara dos Vereadores para discutir o assunto também foi proposta, mas não ocorreu.

Moradores manifestaram contra a decisão da prefeitura(foto: Arquivo Pessoal)
Moradores manifestaram contra a decisão da prefeitura (foto: Arquivo Pessoal)


Do outro lado da discussão, está a Prefeitura de Pedro Leopoldo, que pretende transformar o prédio da antiga ferroviária em um ponto turístico do município. “A estação vai se tornar um acervo municipal, que contém as memórias da cidade e sua trajetória. Temos passagens de JK pela nossa cidade, além da história e vida do Chico Xavier”, disse o secretário municipal de Cultura, Esporte, Lazer, Juventude e Turismo, Daniel Costa .

Como resposta aos críticos da decisão, a prefeitura alega que pretende transferir a biblioteca para um casarão localizado a 50 metros da Praça da Estação. No local, também funciona a Secretaria de Educação da cidade. A previsão é de que a biblioteca comece a funcionar no local em 8 de maio.

“É um espaço muito maior, saudável e propício à convivência. Houve um clamor muito grande da população. As informações foram pulverizadas pela internet, o que fez com que se criasse um conceito falso do processo”, respondeu Costa.

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade