Publicidade

Estado de Minas GERAL

Bombeiros ampliam pontos de buscas por vítimas de desastre em barragem da Vale


postado em 28/01/2019 12:27 / atualizado em 28/01/2019 13:44

(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
A busca pelas vítimas do rompimento de uma das barragens da Vale deve ganhar mais velocidade nesta segunda-feira, 28, nas áreas mais próximas da mina do Feijão. No domingo, 27, os trabalhos de rastreamento do Corpo de Bombeiros por terra e pelo ar localizaram três pontos de procura: o refeitório dos funcionários da mineradora, uma pousada e um ônibus, localizado na noite de segunda, bem próximo à estrada que cortava a cidade e foi destruída pela avalanche de lama. O mapa que está sendo usado pelos bombeiros, porém, mostra um número maior de pontos de busca.

Ver galeria . 31 Fotos Buscas por vítimas de rompimento de barragem em Brumadinho entraram no quarto dia nesta segunda-feira. Israelenses começaram a trabalhar hoje. Primeiros corpos foram sepultados na cidadeRenan Damasceno/EM/D.A. Press
Buscas por vítimas de rompimento de barragem em Brumadinho entraram no quarto dia nesta segunda-feira. Israelenses começaram a trabalhar hoje. Primeiros corpos foram sepultados na cidade (foto: Renan Damasceno/EM/D.A. Press )


Só na manhã desta segunda, três corpos foram trazidos para um campo ao lado da igreja da localidade de Córrego do Feijão, vizinha à mina. Uma área foi preparada para receber os corpos, que são recolhidos pelo Instituto Médico Legal (IML) imediatamente quando chegam.

Quatro helicópteros e mais de uma centena de homens do corpo de bombeiros e das Polícia Civil e Militar estão envolvidos na operação. Eles retornam de campo cobertos de lama até a cabeça.

Cerca de 21 pessoas estão envolvidas nas buscas em terra. Por segurança e para agilizar as operações, foram divididos em equipes de três. A operação requer muita força. É como se nadassem na lama que, nos locais onde estão entrando, ultrapassa a linha da cintura e faz muita pressão, disseram.

Muitos corpos estão sendo encontrados mutilados. Os bombeiros estão usando pás e serras porque em alguns pontos a lama está mais seca e vários corpos estão presos.

Os trabalhos foram retomados às 4h. De acordo com os últimos dados utilizados, a tragédia já soma 60 mortos, 19 deles identificados. Há ainda 292 desaparecidos e 192 pessoas resgatadas. Esses números não consideram o último corpo trazido para a igreja de Córrego do Feijão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade