Publicidade

Estado de Minas

Mosteiro de Macaúbas festeja volta de imagens restauradas ao altar

Durante a celebração religiosa, o mosteiro recebeu a visita da imagem peregrina de Santa Luzia, cujo jubileu começou na quarta-feira


postado em 03/12/2018 06:00 / atualizado em 03/12/2018 08:23

As freiras do Mosteiro em Santa Luzia receberam com alegria as imagens sacras históricas que acabam de ser recuperadas(foto: Lívia Andrade/Esp. EM/DA Press)
As freiras do Mosteiro em Santa Luzia receberam com alegria as imagens sacras históricas que acabam de ser recuperadas (foto: Lívia Andrade/Esp. EM/DA Press)


O domingo foi de festa no Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para levar ao altar duas peças sacras recém-restauradas. A “cerimônia de entronização” teve início às 10h30 com a retirada de uma cortina sobre a imagem do Sagrado Coração de Jesus, considerada a segunda dessa invocação a entrar em Minas – a primeira pertence ao acervo de Mariana, na Região Central – e a de Nossa Senhora do Rosário, do acervo do convento. Nesse último caso, a imagem foi para o retábulo onde, até a década de 1960, ficava outra dedicada a Nossa Senhora do Rosário e que desapareceu. A imagem do Sagrado Coração foi benzida e colocada no altar em 8 de setembro de 1877.


“É uma grande alegria receber as imagens. A do Sagrado Coração de Jesus teve seu restauro patrocinado por uma devota, participante da campanha Abrace Macaúbas”, afirma a abadessa, madre Maria Imaculada de Jesus Hóstia. Já a imagem do Rosário foi restaurada graças ao Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais (Cecor) da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (EBA/UFMG). Durante a celebração religiosa feita pelo padre Felipe Queirós, titular da Paróquia de Santa Luzia, o mosteiro recebeu a visita da imagem peregrina de Santa Luzia, cujo jubileu começou na quarta-feira. O dia da padroeira da cidade vizinha, 13 de dezembro, terá como ponto alto a tradicional procissão luminosa.


A campanha Abrace Macaúbas foi lançada em setembro do ano passado e entra em nova fase para arrecadar recursos destinados ao restauro do mosteiro com mais de 300 anos de história. A iniciativa tem apoio da Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia, Memorial da Arquidiocese de Belo Horizonte, Paróquia de Santa Luzia e Vicariato da Ação Missionária das Cidades Históricas. Todas as ações serão acompanhadas pela 6ª Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Luzia e fiscalizadas pela comissão técnica constituída pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Santa Luzia, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).


O presidente da Associação Cultural Comunitária, Adalberto Andrade Mateus, afirma que “Macaúbas impressiona pelas dimensões e conservação externa, mas, por dentro, precisa de reforma imediata de todo o sistema elétrico, descupinização, enfim, de obra de restauro”. Como quem vê cara não vê coração, Adalberto acrescenta que “apesar da boa aparência, o local tem problemas gravíssimos”.

COLABORAÇÃO Há três anos e meio, a abadessa comandou uma grande campanha para a compra das latas de tinta que deram vida nova ao azul colonial das portas e janelas e branco das paredes com um metro e meio de largura e prepararam o mosteiro para a festa do tricentenário. Circulando pelas dependências do mosteiro, basta olhar para o madeirame e ver a necessidade urgente de conservação do prédio que abrigou uma das primeiras escolas femininas das Gerais. Em alguns cantos, os cupins deixaram seu rastro, enquanto, ao pisar as tábuas corridas, ouve-se o estalo de perigo.


O forro da capela, pintado no início do século 19, por Joaquim Gonçalves da Rocha, de Sabará, também demanda ação urgente para não sair de cena. Os olhos atentos vão descobrir gambiarra de fios, colunas com perdas de reboco, buracos em madeiras, como se fosse um queijo suíço e outros sinais de deterioração. “Vamos conseguir o dinheiro todo para terminar os serviços. Deus está conosco”, diz madre Maria Imaculada. Os interessados em ajudar Macaúbas podem fazer o depósito na Caixa Econômica Federal em nome do Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição Macaúbas, agência: 1066, operação 013, conta poupança: 75.403/4 e CNPJ: 19.538.388/0001-07.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade