Publicidade

Estado de Minas

Cortejo celebra Omolu, o orixá da saúde, em Belo Horizonte

Bairro Concórdia reúne grande número de manifestações da cultura negra


postado em 26/08/2018 17:51 / atualizado em 26/08/2018 18:16

(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)

O Bairro Concórdia, na Região Nordeste da capital, recebeu na tarde desse domingo o 4º Cortejo de Omolu, uma homenagem ao orixá (também conhecido como Obaluaê ou Xapanã), guardião da saúde. Todos os anos a concentração começa e termina na Praça México depois de percorrer algumas ruas e buscar em uma das casas de religião de origem afro, o tabuleiro de pipoca, comida característica do guia que tem o significado de cura ao ser passada pelo corpo das pessoas, promovendo limpeza espiritual e física. Neste ano, o tabuleiro saiu da Comunidade de Candomblé Unzo Nkozi Jidanji.

Ao dominar os territórios da cura e da enfermidade, o orixá tem grande poder de intervenção na vida humana. Ele é representado por um ser encoberto por palhas desfiadas do dendezeiro para encobrir as chagas que cobrem todo o seu corpo.

(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)

Segundo Agnaldo Müller, presidente da Associação dos Blocos Afro de Minas Gerais (Abrafo-MG) e diretor do Afoxé de Arte e Cultura, o bairro é considerado um "quilombo aberto" e um dos mais tradicionais da cidade, e "tornou-se um local onde a comunidade do Axé reafirma seu espaço público e democrático no estado laico e uma demonstração de resistência em momentos em que a intolerância religiosa e cultural tem estado cada vez mais presente."

(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)

Diretora de Políticas para a Igualdade Racial, ligada à Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, Makota Kizandembu destaca que o evento promove a descentralização de manifestações religiosas e culturais. "Este evento reafirma nossas ações para o combate ao racismo religioso. Trabalhamos para promover a igualdade racial como premissa das políticas deste governo, com caráter intersetorial, garantindo ações em todas as regionais da cidade", pontuou.

(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)

A região do Concórdia é um reduto de manifestações culturais e religiosas da cultura afro-brasileira, reunindo terreiros de candomblé, umbanda, congados, guardas de Moçambique, entre outras. A celebração dos povos tradicionais de matriz africana é uma realização conjunta entre o Afoxé Bandarerê, a Belotur e a Prefeitura de Belo horizonte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade