Publicidade

Estado de Minas

Ministro da Saúde convoca população a se vacinar contra sarampo e poliomielite

Gilberto Occhi esteve em Belo Horizonte durante o dia escolhido para a reforçar a campanha nacional de vacinação contra as duas doenças. Ele reforçou que a única forma de combater o retorno dessas enfermidades é a imunização


postado em 18/08/2018 17:11 / atualizado em 18/08/2018 17:25

Algumas crianças chegaram a ficar mais assustadas com a agulha, mas o medo durou pouco tempo(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Algumas crianças chegaram a ficar mais assustadas com a agulha, mas o medo durou pouco tempo (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Belo Horizonte foi a cidade escolhida pelo Ministério da Saúde para o lançamento do dia nacional escolhido para o combate ao sarampo e à poliomielite. O ministro Gilberto Occhi esteve na capital mineira na tarde deste sábado e destacou que o Brasil precisa alcançar a meta de 95% de imunização das crianças entre 1 e 4 anos.

“Nós já temos alguns anos que não temos mais surto e casos de poliomielite, mas o sarampo voltou ao Brasil esse ano por conta também da entrada dos imigrantes da Venezuela. (As vacinas contra as duas doenças) são oferecidas durante o ano inteiro e nós tivemos a percepção da baixa cobertura tanto da poliomielite quanto do sarampo. Então nós estamos reforçando a campanha, fazendo um apelo à população, aos pais, aos profissionais da educação, da saúde, às empresas para que nós possamos ter uma massificação acima de 95% da vacinação dessas crianças acima de 1 ano até 5 anos de idade”, afirma Occhi.

O ministro visitou o Centro de Saúde São Geraldo, no bairro homônimo, Leste de BH, onde as famílias que levaram suas crianças para vacinar foram recebidas por profissionais da saúde fantasiados de personagens infantis, tudo para melhorar o clima entre os pequenos mais assustadas com a agulhada que protege contra o sarampo e a gotinha contra a paralisia infantil.

Jackson Machado Pinto, que é secretário de Saúde de BH, destacou que as pessoas não podem deixar de levar os filhos para vacinar. “Nós precisamos que as pessoas estejam convencidas a trazer seus filhos para vacinar. É isso que vai promover maior circulação dos anticorpos pela população e vai impedir que a doença chegue aqui. Desde 1997 não temos casos de poliomielite no Brasil e esperamos que não aconteça”, afirma.

Apesar de o Ministério da Saúde ter escolhido um dia de mobilização nacional contra as duas doenças, a campanha de vacinação vai até 31 de agosto e, em Belo Horizonte, mais de 109 mil crianças integram o público-alvo que precisa se vacinar. Em Minas Gerais esse público chega a pouco mais de 1 milhão de crianças.

Gilberto Occhi (direita) e Jackson Machado acompanharam a vacinação no Centro de Saúde São Geraldo, Leste de BH(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Gilberto Occhi (direita) e Jackson Machado acompanharam a vacinação no Centro de Saúde São Geraldo, Leste de BH (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A PRESS)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade