Publicidade

Estado de Minas

Verbogentileza: confira a programação completa do último dia de evento

Hoje, programação prevê espetáculo infantil, oficina de brinquedos, sarau, shows, entre outros


postado em 12/08/2018 06:00 / atualizado em 12/08/2018 09:06

Projeto Lá da Favelinha participou ontem da programação do Verbogentileza, na Praça Floriano Cerca de 5 mil pessoas pela praça durante o dia de ontem. (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Projeto Lá da Favelinha participou ontem da programação do Verbogentileza, na Praça Floriano Cerca de 5 mil pessoas pela praça durante o dia de ontem. (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Para quem quer um programa ao ar livre, acompanhado dos filhos e da família neste domingo de Dia dos Pais, o Festival Verbogentileza é uma boa opção.  Hoje, estão programadas muitas apresentações para curtir o domingo, como oficina de fotografias, oficina de brinquedos com garrafa PET, sarau e shows, incluindo o cantor, compositor e instrumentista de música popular brasileira Castello Branco.

Keyla Assis, de 34 anos, e Fátima Assis, de 65, foram pela primeira vez para levar os gêmeos Beatriz e Antônio, de oito meses. “Fiquei sabendo do evento pelas redes sociais. Não conhecia e gostei muito, um clima bem família e muitas crianças e cachorros pela grama. Até imaginei que estaria tumultuado, mas está muito tranquilo. É uma ótima pedida para tirar a criançada de casa”, disse.

E, para hoje, os pequenos terão a oportunidade de participar do espetáculo infantil Mari e Celi estão na cidade, da oficina de brinquedos com garrafa PET e do bordando no banquinho com Tina Descolada. Tina foi inspirada na personagem Amélie do filme O fabuloso destino de Amélie Poulain e busca levar alegria para as pessoas em pequenos gestos. Ela é uma agente de inclusão que deseja provocar poder, nas pessoas com deficiência e outras que são suscetíveis à discriminação e preconceito.

NO PASSINHO Ontem, o funk tomou conta da Praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Isso porque o projeto Lá da Favelinha deu uma “Oficina de Passinho” e fez muita gente descer até o chão aos sons dos hits do momento.

Às 16h, começou o batidão. O dançarino convidou os presentes a participarem dos alongamentos para aquecer o corpo para os “passinhos”. As primeiras instruções foram básicas e o público começou um pouco tímido, mas, logo, todos pegaram o ritmo e todo mundo se divertiu.`”A batida é muito contagiante. Gostando de funk ou não, você vê todo mundo dançando: a música une classes sociais, raças, estilos e idades”, contou a publicitária Gisele Delage, de 32 anos, que não conseguiu parar de dançar nem para conversar com a reportagem.

Durante a oficina, os participantes aprenderem vários passos com pés e com as mãos ao som de Anitta e muitos outros. “Curti a aula e, agora que aprendi, preciso ir a um baile para praticar”, brincou a publicitária. A psicóloga Patricia Fernanda Garcia, de 38, também mexeu o corpo ao lado da filha Laís Garcia, de 6. “Eu nem sou muito ‘chegada’ no funk, mas minha filha adora. É minha primeira vez no festival e gostei muito da oficina. É o tipo de programação que faz com que a gente saia da rotina”, pontuou.

A Cysi dos Anjos, que auxilia Lá da Favelinha, comemorou a participação do grupo no festival. “Quando se trata da periferia, precisamos conquistar espaços. Trata-se de uma cultura que não é reconhecida ou é descriminada por não acontecer. Um dos principais dos objetivos é mostrar nossa cultura e ser conhecido como tal”, disse a auxiliadora do projeto, que oferece 16 oficinas voluntárias para crianças de 10 a 15 anos.

Patricia Tavares, idealizadora do Verbogentileza, pontua a importância desse tipo de apresentação. “Achamos importante esse movimento de agregar a galera da periferia em um evento na zona Sul. É importante um projeto que trabalhe a diversidade da cidade e o Verbogentileza trabalha com os pilares: sustentabilidade, diversidade e respeito. Pra isso, a gente tem que misturar”, contou a idealizadora. Segundo ela, cerca de 5 mil pessoas passaram pela praça durante o dia de ontem. O evento também contou com oficina de bordando no banquinho com as Meninas do Cafezal e oficina de cupcakes para crianças.

FITAS COLORIDAS O Portal da Gentileza, como ficou conhecida a instalação de fitas coloridas e frases inspiradoras, é uma das marcas registradas do projeto social que incentiva as boas práticas e também fez muito sucesso. Nesta edição, que tem apoio do Estado de Minas, o público foi convidado a colaborar e mandar frases que inspiram atitudes gentis. Foram impressas 540 fitas de várias cores, com as frases selecionadas, fixadas no portal de quatro metros de altura. E é com o verbo “convidar” que o festival vai dar movimento ao substantivo “gentileza”, dando sentido ao projeto que busca ser coletivo, uma rede que conecta pessoas e marcas a favor da disseminação da gentileza urbana. Não faltou curiosos para lerem as frases ou tirar uma boa foto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade