Publicidade

Estado de Minas

Batida entre táxi e carreta com ácido complica o trânsito na BR-040, em BH

Veículo de carga transportava material perigoso, que ficou derramado na pista


postado em 04/08/2018 15:42 / atualizado em 04/08/2018 17:38

(foto: Via 040/Divulgação)
(foto: Via 040/Divulgação)

Um acidente nesse sábado entre uma carreta carregada com produto perigoso e um carro complicou o tráfego na BR-040, no entroncamento com a BR-356, sentido Belo Horizonte, na altura do Bairro Olhos D'Água, próximo ao viaduto da Mutuca. Após fazer uma curva, o veículo de carga colidiu com um táxi e tombou. A carreta levava ácido sulfúrico, que ficou derramado na pista. O congestionamento chegou a quatro quilômetros de extensão. O Corpo de Bombeiros foi acionado e, ao chegar ao local, os envolvidos na batida já haviam sido socorridos.

Logo foram iniciados os trabalhos de contenção do produto e isolamento da área. O motorista da carreta foi encontrado consciente, não ficou preso às ferragens, mas foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Barreiro, em estado de saúde moderado. O taxista não sofreu ferimentos.

(foto: Via 040/Divulgação)
(foto: Via 040/Divulgação)

A Via 040, concessionária responsável pela gestão do trecho, foi acionada por volta das 14h40 para atender a ocorrência. Até agora, o local exato do acidente continua interditado, na alça de retorno para Belo Horizonte, impactando para quem está no Anel Rodoviário, sentido Rio de Janeiro, e pretende retornar no rumo BH Shopping/Belvedere/Savassi.

Isso devido aos trabalhos de limpeza do material derramado, que começou a ser feito por uma empresa especializada na remediação e transbordo da carga, contratada pela transportadora, que deverá, também com a autorização dos Bombeiros, sinalizar quando o fluxo poderá ser retomado, o que está previsto para ocorrer até aproximadamente as 20h.

Já na pista principal da BR-040, na direção para Belo Horizonte, o trânsito está praticamente livre, mas, para o lado do Rio de Janeiro, ainda há dois quilômetros de lentidão. Equipes do Núcleo de Emergências Ambientais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (NEA - SEMAD) também foram solicitadas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade