Publicidade

Estado de Minas

Moradores de Diamantina são cadastrados para receber combustível

Cada pessoa poderá reabastecer somente depois de três dias. Medidas foram tomadas pela prefeitura, que decretou situação de emergência devido ao desabastecimento


postado em 30/05/2018 13:33 / atualizado em 30/05/2018 14:59

Postos da cidade também enfrentam a falta de combustível (foto: Jean Castro/Pref. Diamantina / Divulgação)
Postos da cidade também enfrentam a falta de combustível (foto: Jean Castro/Pref. Diamantina / Divulgação)

O cadastramento de pessoas físicas e jurídicas, por meio dos números do CPF e do CNPJ, e registros das placas de veículos são algumas das medidas tomadas em Diamantina, no Alto Jequitinhonha, devido o racionamento de combustível. Cada consumidor terá um limite na compra do álcool ou gasolina e poderá reabastecer novamente somente depois de três dias. A prefeitura decretou situação de emergência no município por causa do desabastecimento de combustíveis.

Diamantina sofre com a falta de combustível e de gás de cozinha. As medidas para amenizar a situação estão sendo adotadas por um comitê de gerenciamento de crise, criado pelo Executivo municipal. O grupo conta com a participação de vários órgãos. Nesta quarta-feira, está sendo aguardada a chegada à cidade de um comboio de caminhões, transportando combustíveis e gás de cozinha, que sairá de Belo Horizonte e viajará escoltado pela Polícia Militar (PM).

Em atendimento a uma recomendação do Ministério Publico Estadual de Minas Gerais (MPMG) em Diamantina, ficou acertado que a venda de combustíveis nos postos na cidade terá que obedecer algumas regras de racionamento. Cada pessoa poderá adquirir, no máximo, R$ 100 de gasolina, etanol ou óleo diesel, podendo reabastecer somente após o intervalo de 72 horas (três dias). Para a garantia do controle, será feito um cadastramento da placa do veículo e do número do CPF ou do CNPJ do consumidor.

As mesmas normas serão aplicadas na venda de gás de cozinha no município, limitada a um botijão por pessoa. Além disso, o comitê de gerenciamento de crise estipulou que deverá ser dada preferência para o atendimento de serviços públicos.

O comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar de Diamantina, tenente-coronel Anderson de Deus Aguilar, disse que um grupamento da corporação seguiu para Belo Horizonte com objetivo de escoltar caminhões que vão levar combustíveis e gás de cozinha para a cidade histórica. O comboio deverá ser formado por 12 caminhões, com dois ou três deles carregando gás de cozinha e os outros caminhões-tanque com combustíveis. Dois caminhões vão transportar derivados de petróleo para o município vizinho de Gouveia, que também sofre com o desabastecimento provocado pela paralisação dos caminhoneiros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade