Publicidade

Estado de Minas

Projeto em escolas de Divinópolis alerta para riscos de trotes no Samu

Evento Semana do Samu sem Trotes começou nesta segunda-feira e segue até a sexta com atividades em escolas da cidade, com objetivo de que estudantes conscientizem a população


postado em 21/05/2018 19:42 / atualizado em 21/05/2018 20:15

Primeiro dia do projeto foi realizado com alunos do Centro Técnico Pedagógico (Cetepe)(foto: Samu/Divinópolis/Divulgação)
Primeiro dia do projeto foi realizado com alunos do Centro Técnico Pedagógico (Cetepe) (foto: Samu/Divinópolis/Divulgação)
Começou nesta segunda-feira um interessante circuíto de palestras para mais de 500 alunos entre 11 e 17 anos em Divinópolis, Centro-Oeste de Minas. Trata-se da “Semana do Samu sem Trotes”, uma ação instituída no calendário por meio de lei municipal, aprovada em novembro passado.

Além das palestras, o evento, que acontece até a sexta-feira, prevê outras atividades educativas, como demonstrações de atendimentos de emergência e a exposição de uma ambulância para que os estudantes conheçam como funciona o procedimento de socorro médico.

O Centro Técnico Pedagógico (Cetepe) foi a primeira instituição de ensino a receber o projeto, nesta segunda-feira. Durante a Semana do Samu sem Trotes, a cada dia as ações serão realizadas em uma escola diferente, até a sexta-feira. Na segunda-feira, dia 28, será o encerramento do projeto com um evento no plenário da Câmara Municipal de Divinópolis, com participação dos cinco diretores das escolas envolvidas, o coordenador do Samu, José Marcio Zanardi, o autor do projeto que originou a lei, o vereador Raimundo Nonato, entre outros parlamentares e estudantes participantes do evento.

A ação visa conscientizar a população, por meio dos estudantes, sobre a importância de não ocorrerem trotes no Samu, que desde sua inauguração tem mais de 22% das ligações consideradas “brincadeiras” inadequadas ou chamados desnecessários.
“O que me motivou a criar esse projeto de lei foi justamente o número alarmante de trotes recebidos no Samu na primeira semana de atuação. Desde então, começamos a pensar em algo que pudesse minimizar essa prática e chegamos à conclusão de que uma ação de conscientização e educativa seria a melhor opção”, disse o vereador Raimundo Nonato.

Palestras e demonstrações do trabalho de socorro chamaram atenção dos estudantes(foto: Samu/Divinópolis/Divulgação)
Palestras e demonstrações do trabalho de socorro chamaram atenção dos estudantes (foto: Samu/Divinópolis/Divulgação)
Para o coordenador do Samu, o projeto é mais uma ferramenta importante no combate aos trotes. “Agradecemos a iniciativa do Legislativo pela aprovação. Certamente essa campanha ajudará a esclarecer à população sobre a importância e funcionamento do Samu, com a expectativa de que o número de trotes diminuirá cada vez mais”, ressaltou.

O diretor da Escola do Legislativo Municipal, Roberto Franklin, comemorou o primeiro dia do projeto e o empenho de toda equipe na realização das atividades. “Tivemos hoje o primeiro dia e foi um sucesso total, onde contamos com a interação e participação dos alunos e também professores. A equipe do Samu fez apresentações, explicando acima de tudo, a importância de não praticar trotes. O projeto mostra que o Poder Legislativo está atuando para evitar estes transtornos na saúde municipal”, assinalou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade