Publicidade

Estado de Minas

Incêndio atinge apartamento em BH; carregador de celular pode ter causado o fogo

O fogo se espalhou no terceiro andar do edifício, que está localizado na Avenida Amazonas. Ainda está sendo apurado como as chamas tiveram início. Não houve vítimas


postado em 21/05/2018 13:46 / atualizado em 21/05/2018 17:53

As chamas se espalharam por um apartamento do terceiro andar do prédio(foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
As chamas se espalharam por um apartamento do terceiro andar do prédio (foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)

O incêndio em um apartamento provocou prejuízos e assustou moradores de um prédio no início da tarde desta segunda-feira no Bairro Prado, na Região Oeste de Belo Horizonte. O fogo se espalhou no terceiro andar do edifício. A suspeita é que um carregador de celular possa ter provocado as chamas. Não houve vítimas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio teve início por volta das 13h. As chamas puderam ser vistas por motoristas e pedestres que passavam pela Avenida Amazonas. O prédio está localizado no número 3.530. Duas moradoras estavam no local quando o incêndio se espalhou por um quarto.

Uma delas é Valéria de França dos Santos, de 25 anos. Segundo a jovem, o fogo começou no quarto dela e queimou, primeiro, um colchão. No momento que teve início, ela e uma amiga estavam no local. “A gente tinha acabado de acordar. Eu ia tomar banho. Estava na sala quando senti um cheiro de queimado. Procurei o fogo na sala, porque tinha acabado de sair do quarto e não tinha nada aceso. Não achei nada lá e nem na cozinha. Até que ela (amiga) viu que era no meu quarto”, disse.

Segundo a moradora, elas tentaram apagar o incêndio, mas não conseguiram. “Corri tentei jogar água, mas nada. Joguei roupa molhada por cima e não adiantou nada. Pegamos o extintor, mas a gente não sabia usar. Corri aqui para baixo para chamar alguém, mas não tinha ninguém. Ai, já estava grande demais e muita fumaça, e todo mundo desceu”, contou.

Chamas destruíram um quarto do apartamento(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Chamas destruíram um quarto do apartamento (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)


Três viaturas do Corpo de Bombeiros foram para o local. Os primeiros militares fizeram os levantamentos e um veículo foi dispensado. A fumaça densa, dificultou os trabalhos. “A nossa ação foi rápida e conseguimos confinar o incêndio e restringir a apenas um cômodo, que foi o quarto. As chamas estavam muito altas e em um local restrito, mas tinha fumaça intensa em todo o ambiente, e muito escuro. Tivemos que utilizar técnicas para avançar e identificar o local do foco para combater”, explicou o tenente Rafael Almeida, do 1º Batalhão dos Bombeiros.

As chamas foram extintas rapidamente pelos militares. Um cachorro e um pássaro foram resgatados sem nenhum ferimento. A Defesa Civil foi acionada para avaliar riscos estruturais no imóvel. Segundo o Corpo de Bombeiros, o revestimento do teto se soltou e deixou a ferragem exposta. Uma vistoria foi feita pela órgão e o imóvel interditado temporariamente. Segundo a Defesa Civil, não foi constatado risco estrutural e o morador foi notificado a adotar medidas de mitigação e recuperação.

Causas do incêndio


Uma das possíveis causas do incêndio é um carregador de celular que estava conectado na tomada. “Eu tinha acabado de tirar meu celular do carregador. O carregador do notebook também não estava ligado. Então, não sei o que aconteceu”, disse a moradora do apartamento. Para o Corpo de Bombeiros, essa é a principal suspeita. “Segundo o proprietário, saíram e deixaram um celular carregando. A única possibilidade plausível seria essa. Ficou conectado a rede elétrica, é um risco sim. Embora não é muito comum, mas pode ocorrer”, afirmou o tenente Almeida.

Na última semana, uma ocorrência semelhante foi registrada em Belo Horizonte. Um celular que estava carregando explodiu e provocou incêndio em uma casa no Bairro Incofidência, na Região Noroeste. Dois idosos, de 94 e 75 anos, inalaram fumaça e foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade