Publicidade

Estado de Minas

Laboratório vai analisar pó misterioso que queimou operários em BH

Os trabalhadores faziam uma escavação durante uma obra quando acabaram sendo feridos devido a um pó branco que foi encontrado


postado em 01/05/2018 06:00 / atualizado em 01/05/2018 08:04

Corpo de Bombeiros e equipe do Núcleo de Emergência Ambiental estiveram no local(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Corpo de Bombeiros e equipe do Núcleo de Emergência Ambiental estiveram no local (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Análises em laboratório serão realizadas para identificar uma substância que provocou ferimentos em dois funcionários de uma obra em área residencial no Barreiro, na região de mesmo nome, em Belo Horizonte. Eles faziam uma escavação quando tiveram contato com um pó. As vítimas sofreram queimaduras na pele e nas vias aéreas. Militares do Corpo de Bombeiros que atenderam a ocorrência também precisaram de cuidados médicos, pois tiveram sintomas provocados pelo produto.

A contaminação ocorreu na Rua Guido Ciolete, por volta das 8h40. O Corpo de Bombeiros foi acionado depois que alguns trabalhadores encontraram restos de um pó não identificado quando faziam uma escavação em uma obra. As vítimas tiveram contato com o produto e, de imediato, sofreram queimaduras na pele e nas vias aéreas, além de irritação nos olhos. Elas foram socorridos para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, três militares que fizeram o socorro às vítimas também precisaram de atendimento por sentirem alguns sintomas devido ao contato com o produto. A corporação ressaltou que o procedimento foi preventivo.

Uma equipe do Núcleo de Emergência Ambiental (NEA), órgão ligado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), esteve no local para fazer uma análise preliminar do material. Por meio de nota, a Semad informou que não foi possível a identificação imediata do produto, que passará por análise. A substância foi colocada em uma cápsula e encaminhada pelos militares para análise em laboratório.

Ainda segundo a Semad, funcionários do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN), localizado na UFMG, estiveram no local e descartaram a suspeita inicial de que o material pudesse ser radioativo.

O material foi encontrado em uma obra no Barreiro(foto: Sidney Lopes/EM/D.A.Press)
O material foi encontrado em uma obra no Barreiro (foto: Sidney Lopes/EM/D.A.Press)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade