Publicidade

Estado de Minas

Novo rompimento em mineroduto inquieta moradores

Famílias que vivem nas proximidades do mineroduto temem outros danos caso uma nova ocorrência aconteça


postado em 31/03/2018 06:00 / atualizado em 31/03/2018 06:56

Ruptura repetida levou a paralisação, férias coletivas e antecipou vistoria que ocorreria dentro de meses(foto: TV Alterosa Leste)
Ruptura repetida levou a paralisação, férias coletivas e antecipou vistoria que ocorreria dentro de meses (foto: TV Alterosa Leste)

Moradores de Santo Antônio do Grama, na Região da Zona da Mata, estão apreensivos com o segundo vazamento detectado em menos de 20 dias no duto da Anglo American que passa pela cidade. Desta vez, o abastecimento não foi afetado, pois a Copasa já tinha alterado a captação de água, do Ribeirão Santo Antônio, que fica próximo à tubulação, para o Ribeirão Salgado. Mesmo assim, famílias temem que outros danos possam ocorrer caso haja mais rompimentos.

Dona de um hotel e restaurante na cidade, Laís Latine Gomes, de 31 anos, se diz desconfiada com a situação. “Dá muito medo. Garantiram que estava tudo certo e depois de 15 dias ocorre de novo. Dizem que fizeram a sondagem, mas não sabemos direito”, comentou. Segundo ela, a situação poderia ser ainda pior. “Não foi afetado o abastecimento, porque no primeiro (rompimento) fizeram a segunda opção de captação”, disse.

No dia 12 deste mês, a tubulação da empresa, que transporta a produção de minério de ferro de Minas Gerais para o Rio de Janeiro se rompeu na zona rural de Santo Antônio do Grama. Aproximadamente sete quilômetros dos rios Santo Antônio e Casca foram afetados pela polpa de minério (composta por 70% de minério e 30% de água) e o abastecimento de água precisou ser suspenso na região por três dias.

Uma funcionária do comércio na cidade, que preferiu o anonimato, também se diz com medo da situação. “A gente fica inseguro. O nosso medo é de ter problemas com a água novamente, e também dos danos ao meio ambiente”, afirmou. “Por enquanto, não fomos informados de nada nem pela empresa, nem pela prefeitura”, completou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade