Publicidade

Estado de Minas

Fhemig contrata profissionais para atendimento às vítimas da febre amarela

As vagas são para assistente social, auxiliar administrativo, enfermeiro, fisioterapeuta respiratório, psicólogo, técnico de enfermagem e médicos


postado em 22/01/2018 12:39 / atualizado em 22/01/2018 12:53

Profissionais vão atuar no Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, e apoiar equipes em outras unidades(foto: Sidney Lopes/EM/DA Press - 10/02/2017)
Profissionais vão atuar no Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, e apoiar equipes em outras unidades (foto: Sidney Lopes/EM/DA Press - 10/02/2017)

A Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) prorrogou até terça-feira, 23 de janeiro, o chamamento público para contratação temporária e imediata de profissionais para atuar no combate à febre amarela. 

O processo começou no sábado, 20 de janeiro. Os selecionados vão atuar no Hospital Eduardo de Menezes, na Região do Barreiro, que é referência no atendimento às vítimas da doença. Os profissionais também vão prestar suporte assistencial junto às equipes concentradas nas Unidades Regionais de Saúde de Belo Horizonte, Ponte Nova, Divinópolis e Juiz de Fora. 

As vagas são para assistente social, auxiliar administrativo, enfermeiro, fisioterapeuta respiratório, psicólogo, técnico de enfermagem e médicos. 

Interessados devem entregar um currículo padrão, feito de acordo as especificações do chamamento público, e outros comprovantes no Hospital Eduardo de Menezes (Avenida Dr. Cristiano Rezende, número 2.213, Barreiro de Cima), das 9h às 12h e das 13h às 16h. Faça download do chamamento público no site da Fhemig.  

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Minas Gerais, que decretou estado de emergência em saúde pública nas regionais de Belo Horizonte, Itabira e Ponte Nova, confirma 22 pacientes com febre amarela. Desses, 15 morreram – letalidade de 68%. Os dados são do último boletim epidemiológico, de terça-feira passada. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade