Publicidade

Estado de Minas

Mistério em Carmo do Cajuru e Contagem: quem são os ganhadores da Mega da Virada?

Moradores das duas cidades mineiras buscam pistas sobre apostadores que marcaram as seis dezenas sorteadas e levaram prêmio individual de R$ 18 milhões


postado em 02/01/2018 07:30 / atualizado em 02/01/2018 07:45

(foto: Moisés Silva/EM/D.A Press - 30/12/10)
(foto: Moisés Silva/EM/D.A Press - 30/12/10)

O primeiro dia útil de 2018 começa em Minas com novos milionários e um mistério que une moradores de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e Carmo do Cajuru, no Centro-Oeste mineiro. Afinal, quem são os felizardos acertadores da última Mega da Virada, que marcaram os seis números da sorte (03, 06, 10, 17, 34 e 37) do concurso 2.000? Junto a outras 15 apostas, cada um dos cartões premiados nas duas cidades terá direito a uma bolada de R$ 18.042.279,04, referente ao sorteio realizado na noite de 31 de dezembro.

Carmo do Cajuru se destaca nesse cenário com uma particularidade: em sete anos, é a segunda vez que a cidade de apenas 20 mil habitantes tem uma aposta vencedora da Mega da Virada. Na edição de 2011, um dos cinco ganhadores do país que dividiram o prêmio de R$ 177 milhões também fez seu jogo na cidade. De acordo com a Caixa, desta vez o sortudo apostou na Bolão Loterias, que fica na Rua Cônego João. Embora sem confirmação, boatos na cidade garantem que o jogo vencedor é de um cartão conjunto com 10 participantes, cuja foto inclusive já circularia em grupos de WhatsApp.

Desde a noite de domingo, quando foram anunciadas as cidades que tiveram ganhadores, um burburinho toma conta da cidade. Ontem, logo cedo, muita gente foi para a Praça Getúlio Vargas, também chamada de Praça da Estação, a maior da cidade. Como de costume, a missa da Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo estava lotada no primeiro dia do ano. E de lá praticamente todos foram para a praça para especular sobre a identidade do(s) novo(s) sortudo(s).

Em Contagem, apesar de tratar-se de um dos maiores centros urbanos do estado, informações iniciais da Caixa Econômica Federal dão pistas de que o sortudo, ou grupo deles, pode viver em bairros como Inconfidentes, Riacho e Amazonas. A casa lotérica onde teria sido feita a aposta vencedora é da região, embora o nome fornecido pela Caixa não coincida com o endereço.

A pensionista Vilma de Oliveira Souza, de 52 anos, é vizinha de uma casa lotérica onde supõe-se ter sido feito o jogo vencedor. Surpreendida com a informação, ela tratou de conferir os dois jogos que fez com a filha. “Meu ex-marido jogava com frequência e as vezes conseguia aqueles acertos mínimos que pagam pouca coisa. Já minha filha mais nova, com quem fiz os jogos, é sortuda, mas não foi desta vez. Não faço ideia de quem possa ter ganho os R$ 18 milhões. Se fosse meu parente eu jamais pediria algo, mas se fosse eu a ganhadora ia ajudar muita gente”, disse Vilma.

A edição da Mega da Virada 2017 teve prêmio recorde de R$ 306,7 milhões, para ser divido por 17 ganhadores. Ontem, por ser feriado, a Caixa não deu detalhes sobre as apostas vencedoras. Além dos mineiros, os 15 ganhadores são de São Paulo (seis); Uruçuca, Prado e Cruz das Almas (Bahia); São João do Triunfo e Rio Azul (Paraná); Rio de Janeiro e Seropédica (RJ); Belém (PA); e Brusque (Santa Catarina).

Sabe-se que a aposta de Belém foi feita em um bolão de 22 cotas, o que vai garantir mais de R$ 820 mil para cada participante. Já a aposta de Rio Azul, foi de um bolão de cinco cotas. Cada participante receberá mais de R$ 3,6 milhões. Outras 4.862 apostas acertaram cinco números e levarão R$ 10.565,03. Com quatro acertos, 173.428 apostas receberão o prêmio de R$ 423,12.

Desde 30 de outubro a Mega da Virada 2017 vendeu mais de 70 milhões de bilhetes em todo o país, num total de aproximadamente 250 milhões apostas. A arrecadação foi de R$ 890,9 milhões. O prêmio de R$ 306,7 supera em quase R$ 86 milhões o valor pago no ano passado e quebra o recorde da Mega da Virada de 2014, que pagou R$ 263 milhões.

Prêmios com valores superiores a R$ 1.903,98 são pagos exclusivamente nas agências da Caixa. O bilhete é ao portador, mas o ganhador pode escrever, no verso do recibo da aposta premiada, seu nome completo e CPF. Dessa forma, ninguém mais poderá retirar o prêmio. Em caso de bolão, cada participante pode fazer o mesmo no verso de seu recibo individual de cota. Os prêmios prescrevem após 90 dias da data do sorteio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade